icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
26/07/2013
12:43

Valdivia simulou atendimento e quando bola surgiu aproveitou-se para fazer o gol (FOTO: Tom Dib) 

O elenco do Palmeiras disputava um descontraído rachão na manhã desta sexta-feira quando o meia Valdivia caiu no gramado, colocou a mão na perna direita e pediu atendimento. A cena assustou, já que o camisa 10 tem um longo histórico de lesões, mas era apenas uma pegadinha. Quando a bola se aproximou, ele dispensou o auxílio do massagista, levantou rindo, estufou as redes e foi muito festejado pelos colegas.

- A jogada terminou em gol dele (risos). Foi inteligente, usou o atendimento para ninguém marcá-lo e fazer o gol do rachão. Hoje é fácil falar do Valdivia, por tudo o que está acontecendo, mas ele sempre foi muito alegre, de grupo, nunca o vi sem conversar com as pessoas - disse o técnico Gilson Kleina, que jura não ter temido por um novo problema físico do armador.

Valdivia finge sentir lesão enquanto bola não chega (FOTO: Tom Dib) 

- Olha, quando eu vi que o Sebastián (Eguren) colocou a mão na cabeça, percebi que ele (Valdivia) devia ter falado alguma coisa. Então não fiquei muito receoso - acrescentou o comandante, desconfiando do desespero demonstrado pelo uruguaio.

Neste sábado, contra o Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, Valdivia será titular pela quarta vez seguida após se livrar de uma lesão na coxa direita que o afastou dos gramados por quase quatro meses. Nos últimos três compromissos, todos vencidos pelo Verdão, ele se destacou.

- Claro que, no momento de lesões, ele também ficava triste. Hoje, o Valdivia está mais participativo, muito mais leve. Dá para ver no semblante que ele está fazendo o que adora. Fico contente que o grupo esteja com essa alegria junto dele - completou Kleina.

Valdivia comemora gol após 'pegadinha (FOTO: Tom Dib) 

Valdivia simulou atendimento e quando bola surgiu aproveitou-se para fazer o gol (FOTO: Tom Dib) 

O elenco do Palmeiras disputava um descontraído rachão na manhã desta sexta-feira quando o meia Valdivia caiu no gramado, colocou a mão na perna direita e pediu atendimento. A cena assustou, já que o camisa 10 tem um longo histórico de lesões, mas era apenas uma pegadinha. Quando a bola se aproximou, ele dispensou o auxílio do massagista, levantou rindo, estufou as redes e foi muito festejado pelos colegas.

- A jogada terminou em gol dele (risos). Foi inteligente, usou o atendimento para ninguém marcá-lo e fazer o gol do rachão. Hoje é fácil falar do Valdivia, por tudo o que está acontecendo, mas ele sempre foi muito alegre, de grupo, nunca o vi sem conversar com as pessoas - disse o técnico Gilson Kleina, que jura não ter temido por um novo problema físico do armador.

Valdivia finge sentir lesão enquanto bola não chega (FOTO: Tom Dib) 

- Olha, quando eu vi que o Sebastián (Eguren) colocou a mão na cabeça, percebi que ele (Valdivia) devia ter falado alguma coisa. Então não fiquei muito receoso - acrescentou o comandante, desconfiando do desespero demonstrado pelo uruguaio.

Neste sábado, contra o Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, Valdivia será titular pela quarta vez seguida após se livrar de uma lesão na coxa direita que o afastou dos gramados por quase quatro meses. Nos últimos três compromissos, todos vencidos pelo Verdão, ele se destacou.

- Claro que, no momento de lesões, ele também ficava triste. Hoje, o Valdivia está mais participativo, muito mais leve. Dá para ver no semblante que ele está fazendo o que adora. Fico contente que o grupo esteja com essa alegria junto dele - completou Kleina.

Valdivia comemora gol após 'pegadinha (FOTO: Tom Dib)