Santos x Palmeiras

Herói do empate, Rafael Marques perdeu pênalti, mas foi perdoado por Cuca (foto: Eduardo Viana/Lancepress!)

LANCE!
24/04/2016
20:13
São Paulo (SP)

A despeito dos pênaltis perdidos por Lucas Barrios e Rafael Marques, Cuca não se arrependeu de ter escalado os atacantes para as cobranças. Após a eliminação, o treinador minimizou os erros da dupla e avaliou que não havia sentido colocar os mais jovens na "fogueira" da decisão. 

— Vamos pôr o Matheus Sales para bater o pênalti e vamos deixar o Barrios fora? Vamos pôr o Thiago Martins para bater o pênalti e deixar o Rafael Marques fora? Se erra o Thiago e o Matheus, estaríamos jogando os meninos contra tudo, o treinador é louco. Muito disso se dá pela responsabilidade que o jogador tem. O Barrios é um jogador internacional, é um batedor de pênalti. O Rafael era o nome do jogo, estava embalado, tem que bater — afirmou o treinador, creditando à dupla o empate arrancado na reta final.

— Infelizmente aconteceu deles errarem, mas foi graças a eles que empatamos e não podemos reclamar — acrescentou. 

Cuca reconheceu que o Santos foi superior no primeiro tempo e que o Palmeiras "sentiu o jogo", principalmente por causa da grande quantidade de atletas jovens que compunha a formação alviverde. 

— A gente tinha muitos jogadores jovens, quase metade da equipe. O Santos se impôs no primeiro tempo, encaixou bem o jogo deles, tiveram mobilidade grande, criaram chances de gol. Nós tivemos uma chance no primeiro tempo, com o Róger Guedes, em uma jogada individual. É pouco — avaliou. 

Durante o intervalo, o treinador ajustou detalhes e cobrou seus atletas por mudanças para jogar mais para frente, ao invés de apenas se defender. 

— Era para jogar sem medo de perder. Se tiver que perder, que perca, mas jogando para cima. Poderíamos ter empatado com o Gabriel Jesus, com o Róger Guedes, equilibramos a partida, mas tomamos o segundo gol em uma saída errada de novo. Mesmo assim a equipe teve brio, garra, fé de buscar até o fim — disse o comandante. 


As mudanças vieram e o Verdão cresceu, muito pela estrela de Cuca. Ao decorrer do segundo tempo, ele apostou nas substituições certas e acionou três atletas que participaram dos gols - Cleiton Xavier e Barrios deram os passes para Marques descontar e empatar no fim e forçar os pênaltis.

O Santos levou a melhor, mas Cuca, que apostara nos nomes certos durante o tempo regulamentar, não pode ser condenado por ter escolhido Barrios e Marques para as cobranças de pênaltis.