Thiago Salata
02/06/2016
07:45
São Paulo (SP)

Um único título, que o Palmeiras soma 22 em sua galeria. Poderia ter sido apenas mais um Paulistão na vasta galeria alviverde. Mas não foi. A conquista de 1996, que completa 20 anos nesta quinta-feira, marcou um dos times que melhor futebol jogou na história do Verdão e também do futebol brasileiro. Quando Luizão abriu o placar no lotado Palestra Itália para fazer 1 a 0 contra o Santos, em 2 de junho de 1996, o gol de número 100 foi registrado naquela que foi a 29º partida da campanha. O jogo do título terminou 2 a 0 e o Palmeiras ainda foi a campo mais uma vez, para cumprir tabela, e fechar a conta da "Máquina dos 102 gols". Foram 13 goleadas para todos os gostos, inclusive um 6 a 0 sobre o Peixe, em plena Vila Belmiro e um 8 a 0 no Botafogo, em Ribeirão Preto, em que o número 8 faltou para ser colocado no placar manual. O LANCE! contou nesta quinta como saíram todos os gols, além de publicar depoimentos e entrevistas dos personagens daquela campanha histórica.


O Palmeiras conquistou 27 vitórias, dois empates e sofreu uma única derrota, em 9 de maio, por 1 a 0, para o Guarani, em Campinas. O regulamento previa uma final com o campeão do primeiro turno contra o campeão do segundo. A avassaladora campanha antecipou o fim do Paulistão. Foram 83 pontos (contra 55 do São Paulo, vice) e o mesmo número (83!!!) de saldo de gols (sofreu 19).

Era um time que envolvia adversários e colecionava vítimas... Não perdeu nenhum clássico. O "placar agregado" contra os rivais? 8 a 0 contra o Santos, 5 a 2 contra o São Paulo e 5 a 3 contra o Corinthians, o único que não perdeu as duas (houve um 2 a 2 no returno). O toque de bola encantava. Os próprios números mostram o estilo do time: dos 102 gols, apenas três foram feitos em chutes de fora da área (sem contar cinco em cobranças de falta). A Máquina de Vanderlei Luxemburgo definiu para as redes 64 vezes dentro da grande área, 24 da pequena e marcou seis gols de pênalti. Foram 35 gols de pé direito, 46 de canhota (Rivaldo e Djalminha aumentaram essa conta) e 21 de cabeça (dois deles contra). Luizão, com 22 gols, foi o artilheiro do time, seguido de Rivaldo (18), Muller (15) e Djalminha (14). Até o zagueiro Cléber foi "artilheiro": 7 gols.

Em apenas dois dos 30 jogos, o Palmeiras não balançou a rede. Além da derrota para o Guarani, ficou num 0 a 0, em Araras, contra o União São João - detalhe que um gol de Muller foi mal anulado pela arbitragem. O gol 100 do ano saiu já em abril (dia 18), marcado por Rivaldo, no Palestra Itália, contra o mesmo União. São Marcos, eternizado com busto no clube, pode dizer também que defendeu seu primeiro pênalti jogando com um time histórico: foi em 19 de maio, diante do Botafogo, no Palestra. Paulo César parou no então reserva, que anos depois se tornaria um dos maiores ídolos do Palmeiras. 

Como tudo que é bom dura pouco... Aquele time durou apenas seis meses e já jogou o Brasileirão, no segundo semestre, desfalcado. Falhou ao perder a final da Copa do Brasil para o Cruzeiro, em casa, com falha de Velloso (2 a 1). O contrato de Muller, um dos craques do time, se encerrou antes da decisão, que consagrou o cruzeirense Dida, pegando até vento no Palestra Itália. Máquinas também perdem. Perdem jogos. Mas não perdem o seu lugar na história.

O TIME-BASE CAMPEÃO PAULISTA DE 1996

Goleiro: Velloso
Nome: Wagner Fernando Velloso
Data de nascimento: 22/9/1968, em Araras (SP)
Jogos pelo clube: 455 (244 vitórias, 121 empates e 90 derrotas)
Gols sofridos: 406
Período no clube: 1988 a 91, 93 e 94 a 99

Lateral-direito: Cafu
Nome: Marcos Evangelista
Data de nascimento: 19/6/1970, em São Paulo (SP)
Jogos pelo clube: 99 (64 vitórias, 19 empates e 16 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 2
Gols pelo clube: 13
Período no clube: 1995 a 1997

Zagueiro central: Sandro
Nome: Sandro Rogério Blum
Data de nascimento: 3/7/1970, em Três de Maio (RS)
Jogos pelo clube: 77 (44 vitórias, 15 empates e 14 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 2
Gols pelo clube: 2
Período no clube: 1996 e 97

Quarto-zagueiro: Cléber
Nome: Cléber Américo da Conceição
Data de nascimento: 26/4/1969, em Belo Horizonte (MG)
Jogos pelo clube: 372 (212 vitórias, 92 empates e 68 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 7
Gols pelo clube: 21
Período no clube: 1993 a 99

Lateral-esquerdo: Júnior
​Nome:
Jenílson Ângelo de Sousa
Data de nascimento: 20/6/1973, em Santo Antônio de Jesus (BA)
Jogos pelo clube: 334 (180 vitórias, 80 empates e 74 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 3
Gols pelo clube: 19
Período no clube: 1996 a 2000

Volante: Amaral
Nome: Alexandre da Silva Mariano
Data de nascimento: 28/2/1972, em Capivari (SP)
Jogos pelo clube: 244 (149 vitórias, 56 empates e 39 derrotas)
Gols no Paulistão-96: -
Gols pelo clube: 1
Período no clube: 1993 a 96

Volante: Flávio Conceição
Nome: Flávio da Conceição
Data de nascimento: 12/6/1974, em Santa Maria da Serra (SP)
Jogos pelo clube: 141 (82 vitórias, 35 empates e 24 derrotas)
Gols no Paulistão-96: -
Gols pelo clube: 7
Período no clube: 1993 a 1996

Meia: Djalminha
Nome: Djalma Feitosa Dias
Data de nascimento: 9/12/1970, em Santos (SP)
Jogos pelo clube: 88 (57 vitórias, 17 empates e 14 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 14
Gols pelo clube: 47
Período: 1996 e 97

Meia: Rivaldo
Nome: Rivaldo Vitor Borba Ferreira
Data de nascimento: 19/4/1972, em Recife (PE)
Jogos pelo clube: 126 (78 vitórias, 27 empates e 21 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 18
Gols pelo clube: 67
Período no clube: 1994 a 1996

Atacante: Muller
Nome: Luis Antônio Corrêa da Costa
Data de nascimento: 31/1/1966, em Campo Grande (MS)
Jogos pelo clube: 69 (50 vitórias, 10 empates e 9 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 15
Gols pelo clube: 33
Período no clube: 1995 e 96

Atacante: Luizão
Nome: Luiz Carlos Bombonato Goulart
Data de nascimento: 14/11/1975, em Rubinéia (SP)
Jogos pelo clube: 91 (60 vitórias, 19 empates e 12 derrotas)
Gols no Paulistão-96: 22
Gols pelo clube: 57
Período no clube: 1996 e 97

Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Nome: Vanderlei Luxemburgo da Silva
Data de nascimento: 10/05/1952, em Nova Iguaçu (RJ)
Jogos pelo clube: 369 (221 vitórias, 81 empates e 67 derrotas)
Período no clube: 1993 a 1994; 1995 a 1996; 2002; 2008 a 2009

AS 13 GOLEADAS DA CAMPANHA

1) Palmeiras 6x1 Ferroviária
28/1 - Palestra Itália
GOLS: Luizão (2), Djalminha (2), Muller (2) e Paulo Isidoro

2) Novorizontino 1x7 Palmeiras
1/2 - Estádio Municipal de Mirassol
GOLS: Luizão (3), Muller (2), Elivélton (2)

3) Palmeiras 4x1 Juventus
11/2 - Palestra Itália
GOLS: Rivaldo, Elivélton, Paulo Isidoro e Ósio

4) Botafogo 0x8 Palmeiras
16/3 - Santa Cruz
GOLS: Luizão (3), Djalminha (2), Cláudio, Alex Alves e Cafu


5) Palmeiras 4x1 Rio Branco

19/3 - Palestra Itália
GOLS: Luizão (3) e Elivélton

6) Palmeiras 6x0 América
21/3 - Palestra Itália
GOLS: Rivaldo (2), Muller (2), Luizão e Djalminha

7) Santos 0x6 Palmeiras
24/3 - Vila Belmiro
GOLS: Rivaldo (2), Cléber (2), Djalminha e Cafu


8) Palmeiras 4x0 XV de Jaú
30/3 - Palestra Itália
GOLS: Alex Alves, Cláudio, Djalminha e Cris

9) Ferroviária 1x5 Palmeiras
6/4 - Fonte Luminosa
GOLS: Luizão (2), Rivaldo (2) e Gustavo

10) Palmeiras 4x0 Novorizontino
10/4 - Palestra Itália
GOLS: Cléber (2), Rivaldo e Muller

11) Palmeiras 5x0 União São João
18/4 - Palestra Itália
GOLS: Rivaldo (3), Muller, Luizão

12) Juventus 1x5 Palmeiras
21/4 - Jaime Cintra
GOLS: Muller (2), Djalminha (2) e Júnior

13) Palmeiras 4x0 Botafogo

19/5 - Palestra Itália
GOLS: Djalminha (2), Muller e Fonseca (contra)

*Há quem considere 3 a 0 goleada. E houve um 3 a 0, sobre o Mogi Mirim, na campanha. Mas convenhamos que, para este time, 3 a 0 NÃO era goleada.