LANCE!
08/04/2016
07:24
São Paulo (SP)

A surpreendente vitória do Wolfsburg sobre o Real Madrid por 2 a 0 fez com que o clube alemão conseguisse quatro jogadores na equipe da semana da Liga dos Campeões. Além dos Lobos, Bayern de Munique (2), Barcelona, Manchester City (2), PSG e Atlético de Madrid tiveram representantes, deixando apenas Benfica e Real Madrid de fora.

O Brasil emplacou três jogadores no time da Uefa. Dante, Fernandinho e Thiago Motta, este último naturalizado italiano. Vale lembrar que Dante e Fernandinho foram titulares na histórica goleada da Alemanha por 7 a 1 sobre o Brasil na Copa do Mundo de 2014.

Veja o que o site da Uefa disse sobre cada jogador do time ideal da semana.

Goleiro: Diego Benaglio (Wolfsburg)
Acabou por não ter muito trabalho, mas a saída perfeita aos pés de Cristiano Ronaldo, que evitou o gol do português, pode ter sido crucial.

Lateral: Lucas Hernández (Atlético de Madrid)
Mostrou um fantástico sentido de antecipação e uma excelente capacidade física frente ao trio ofensivo do Barcelona, com vários desarmes importantes que ajudaram o Atlético a manter-se na disputa da eliminatória, mesmo reduzido a dez jogadores.

Zagueiro: Dante (Wolfsburg)
Com uma exibição extremamente disciplinada, Dante esteve várias vezes no caminho da bola para impedir que alguns dos mais perigosos chutes do Real Madrid causassem perigo.

Zagueiro: Ricardo Rodriguez (Wolfsburg)
Uma das razões pelas quais o Wolfsburg foi tão dominante no seu flanco esquerdo, e teve ainda tempo para contribuir com um gol.

Lateral: Juan Bernat (Bayern de Munique)
A sua inesgotável energia foi uma das razões pelas quais o Benfica passou tanto tempo no seu próprio meio-campo. Entendeu-se na perfeição com Franck Ribéry na esquerda e foi dele o cruzamento perfeito para o golo de Arturo Vidal.

Meia: Thiago Motta (PSG)
Foi usado como escudo à frente da defesa parisiense e, apesar de a sua equipe não ter ido além de um empate, foi graças a ele que os jogadores mais criativos do Manchester City não tiveram muito espaço para brilhar.

Meia: Fernandinho (Manchester City)
Cumpriu na perfeição a sua função, travando os ataques do PSG antes de subir e marcar o gol que valeu o empate ao Manchester City. Antes, tinha feito a assistência para o tento com que Kevin De Bruyne inaugurou o marcador.

Meia: Arturo Vidal (Bayern de Munique)
Com os atacantes do Bayern marcados de forma tão cerrada pela defesa do Benfica ao longo de todo o jogo, acabaram por ser as investidas de Vidal até a área os lances mais perigosos. E isso começou bem cedo, ao marcar de cabeça nos instantes iniciais.

Atacante: Kevin De Bruyne (Manchester City)
Com apenas 57 minutos desde o regresso aos gramados após dois meses lesionado, o internacional belga mostrou-se incansável e coroou a sua atuação com um excelente gol.

Atacante: Luis Suárez (Barcelona)
Dois gols plenos de instinto goleador permitiram-lhe chegar aos oito em igual número de jogos nesta edição. O uruguaio foi uma ameaça constante para a defesa do Atlético, sempre em busca de espaços para furar por entre a muralha defensiva pelo adversário.

Atacante: Maximilian Arnold (Wolfsburg)
Sempre perigoso, com o seu posicionamento e as suas inteligentes arrancadas em velocidade, Arnold abriu inúmeros espaços para os seus colegas e criou várias ocasiões de gol. Finalizou uma delas, concluindo da melhor forma a bonita jogada do segundo gol do Wolfsburg.