SSL Finals

Velejadores disputam o SSL Finals, nas Bahamas, entre os dias 4 e 9 de dezembro (Foto: Divulgação)

Thiago Ferri
06/12/2017
20:36
Enviado a Nassau (BAH)

Robert Scheidt, líder do Star Sailors League (SSL) Finals, aprovou o resultado do segundo dia de classificação do torneio de vela disputado nas Bahamas. Com regatas consistentes, o brasileiro analisou o resultado desta quarta-feira, enquanto Lars Grael lamentou as largadas ruins.

- A gente conseguiu evitar os grandes erros, este foi o resumo do dia. Fomos consistentes, evitamos score (pontuação) ruim, conseguimos velejar junto com os adversários. Foi bom, a gente conseguiu o objetivo, ter uma média boa em quatro rodadas, que é difícil, cansativo, mas conseguimos manter a concentração e o entrosamento com o Maguila (Henry Boenning, proeiro do seu barco) - pontuou Scheidt.

- Temos de tentar fazer as mesmas coisas de hoje (quarta), amanhã (quinta), que é um dia importantíssimo. E dependendo do que acontecer amanhã a gente vai olhar para os adversários que estão próximos. Demos um passo importante com as regatas inconsistentes - acrescentou.

Na terça, dia de abertura do campeonato, Robert havia conseguido um segundo e terceiro lugares. Nesta quarta, ele terminou as regatas em: 11º, 4º, 3º e 6º. Ao fim das 11 regatas, o pior resultado é descartado - neste momento, o brasileiro está excluindo o 11º.

A próxima dupla brasileira mais bem colocada é a de Lars Grael e Samuel Gonçalves, que está em 11º lugar geral, um abaixo da linha de corte para a próxima fase. Para Lars, ele e Samuel Gonçalves têm um ponto a melhorar.

- Nossa primeira regata foi ruim, nas outras tivemos boas recuperações. A que ficamos em sétimo perdemos uma posição no fim, e nesta agora entrou um vento totalmente diferente e chegamos a estar em quinto. É ser mais agressivo na largada, estamos nos posicionando na linha e demorando a acelerar, com medo de queimar. Estamos excessivamente conservadores na largada. Larga mal, fica andando no podre, busca vento limpo e depois tenta fazer sua tática, mas aí chega na boia naquele tumulto - explicou.

Torben Grael e Guilherme de Almeida, a outra dupla brasileira que está disputando o torneio, contestou a bandeira preta recebida na quarta regata, a segunda do dia e naquela que os dois velejaram melhor. A organização considerou que o barco deles queimou a largada, e agora tentam reverter a decisão. Por enquanto, Torben e Guilherme estão na 23ª colocação entre os 25 barcos que competem nas Bahamas.

Bruno Padra, ganhador de medalha olímpica com Robert Scheidt, está competindo com o sueco Freddy Lööf - eles estão em décimo lugar, por enquanto classificados às quartas de final. Artur Lopes, que compete com o alemão Hubert Merkelbach, está em 20º lugar.

O torneio têm 11 regatas previstas como classificação, entre terça e sexta-feira. Os dez primeiros seguem para o último dia de competição, no sábado, quando haverá quartas de final, semifinal e final, com oito, seis e quatro barcos, respectivamente. O vencedor da primeira fase passa diretamente à final, enquanto o segundo colocado entra na semifinal. O campeonato é transmitido ao vivo pelo site "starsailors.com".

* O repórter viaja a convite da SSL