Michel Castellar
14/03/2017
21:46
Especial para o LANCE!

A polêmica das obras entre o Consórcio Maracanã S.A. e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 chegou ao fim. Desde a semana passada, ambos têm se reunido para que a entidade esportiva finalize as reformas que faltaram ser entregues, quando o complexo foi devolvido após o evento.

O valor total das intervenções era de R$ 420 mil, em novembro, quando deveriam ter sido feitas. Mas saltaram para R$ 505 mil após ser corrigido.

Nesta quarta-feira, o Comitê Rio-2016 inicia as medições e o detalhamento das intervenções necessárias. A concessionária cederá um espaço para que os técnicos da entidade esportiva realizem as obras, que serão monitoradas pelo Estado (dono do estádio). Só após o levantamento é que será possível determinar uma data para o fim da reforma.

Gramado

O Comitê Rio-2016 assegurou que entregou o gramado dentro das condições exigidas ao Maracanã S.A. O buraco aberto para a instalação de um robô na Cerimônia de Abertura dos Jogos Paralímpicos não deixou nenhum problema a ser corrigido no campo.

Procurado, o Consórcio Maracanã S.A. não contestou as informações do Comitê Rio-2016. Apenas afirmou que não vai se pronunciar sobre as intervenções que devem ser feitas pela entidade esportiva.

Laudo revela que problemas na cobertura ocorreram na Copa-2014

De posse de dois laudos, da Schlaich Bergermann und Partner (SBP) – responsável pelo projeto de cobertura do Maracanã – e da Promom Engenharia, o Comitê Rio-2016 provou que não teve responsabilidade sobre problemas existentes na estrutura. O documento o qual o LANCE! teve acesso relata que os danos existentes no local foram provocados na final da Copa do Mundo de 2014 e não pelas Cerimônias de Abertura e Encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do evento.

– A membrana (da cobertura) apresenta alguns danos decorrentes da cerimônia de encerramento da Copa do Mundo Fifa de 2014 – escreveu a Promon, em trecho do documento elaborado a pedido do Comitê Rio-2016.

Sobre os problemas ocasionados pelos Jogos na cobertura do Maracanã, o documento foi claro. A entidade foi orientada apenas a promover a limpeza dos resíduos de fogos de artifício e outros detritos que ficaram no local após a realização das Cerimônias.

– A estrutura de cobertura após a realização das cerimônias olímpicas apresenta condições aceitáveis e nenhum dano adicional foi ocasionado pelas cargas aplicadas à estrutura – relatou o laudo.

Maracana
Comitê prova que danos à cobertura ocorreram na Copa (Foto: AFP)

Maracanãzinho

Além do estádio, o Comitê Rio-2016 vai precisar fazer uma intervenção no ginásio do Maracanãzinho. Mas, a princípio, a troca de uma caixa de força, que tem valor estimado de R$ 145 mil, será custeada pela seguradora contratada pela entidade esportiva para a realização dos Jogos.

A LISTA DA REFORMA

Pintura do anel inferior

Ao entregar o Maracanã, o Rio-2016 entregou sem a pintura completa o anel inferior do estádio, que foi modificado para as Cerimônias de Abertura e Encerramento dos Jogos.

Recuperação do teto da sala de imprensa

No salão destinado aos jornalistas, vários furos foram feitos no teto para a colocação de suportes e cabos, o que danificou a estrutura. Essa recuperação será feita pelo Comitê Rio-2016.

Reforma dos banheiros

Torneiras, portas e vasos sanitários foram quebrados ou roubados durante as Cerimônias e serão repostos.

Recolocação de lâmpadas

Várias lâmpadas queimadas precisam ser substituídas.

Substituição de vidros

Vidros por todo o complexo foram quebrados e serão trocados.

Gramado e cobertura

O Comitê Rio-2016 afirma que não existe nenhum tipo de reforma sob sua responsabilidade tanto no gramado quanto na cobertura.