icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/08/2015
10:41

O Brazilian Storm voltou? Depois de um início arrasador na temporada 2015 do Circuito Mundial de Surfe (WCT), fica até difícil falar em "retorno". Porém, com um desempenho fraco nas últimas etapas, e garantindo boas performances no Taiti, os brasileiros voltaram a "dividir" o top 10 no campeonato com os australianos: são quatro surfistas de cada país.

Adriano de Souza, o Mineirinho, não conseguiu impressionar em Teahupo'o, caindo na terceira rodada. Ainda assim, com a gordura acumulada com um título, um vice e uma semifinal nas três primeiras etapas do ano, segue na liderança, com 34,950 pontos.

Nas três posições seguintes, aparecem os principais adversários dos brasileiros: os temidos australianos. Mick Fanning (segundo, com 34,700 pontos), Owen Wright (terceiro, 34,400) e Julian Wilson (quarto, 33,200) vêm mostrando boas perfomances na temporada e, juntos, somam dois títulos e quatro vices nesse ano.

Filipe Toledo, empatado na quarta posição com Wilson, é mais um brasileiro mirando o título da temporada. Campeão em Gold Coast (AUS) e no Rio de Janeiro, ele é o surfista com mais conquistas em 2015. Josh Kerr e Ítalo Ferreira, empatados na oitava posição, e Gabriel Medina, em décimo, fecham a dobradinha Brasil-Austrália no top 10.

Os dois intrusos nessa briga particular entre os países são Kelly Slater (EUA), em sexto com 28,400 pontos, e Jeremy Flores (FRA), campeão da etapa do Taiti e atual sétimo colocado no ranking, com 27,250.

Agora, a dúvida que resta é a seguinte: ao final da temporada, quem estará na primeira posição, Brasil ou Austrália?

O Brazilian Storm voltou? Depois de um início arrasador na temporada 2015 do Circuito Mundial de Surfe (WCT), fica até difícil falar em "retorno". Porém, com um desempenho fraco nas últimas etapas, e garantindo boas performances no Taiti, os brasileiros voltaram a "dividir" o top 10 no campeonato com os australianos: são quatro surfistas de cada país.

Adriano de Souza, o Mineirinho, não conseguiu impressionar em Teahupo'o, caindo na terceira rodada. Ainda assim, com a gordura acumulada com um título, um vice e uma semifinal nas três primeiras etapas do ano, segue na liderança, com 34,950 pontos.

Nas três posições seguintes, aparecem os principais adversários dos brasileiros: os temidos australianos. Mick Fanning (segundo, com 34,700 pontos), Owen Wright (terceiro, 34,400) e Julian Wilson (quarto, 33,200) vêm mostrando boas perfomances na temporada e, juntos, somam dois títulos e quatro vices nesse ano.

Filipe Toledo, empatado na quarta posição com Wilson, é mais um brasileiro mirando o título da temporada. Campeão em Gold Coast (AUS) e no Rio de Janeiro, ele é o surfista com mais conquistas em 2015. Josh Kerr e Ítalo Ferreira, empatados na oitava posição, e Gabriel Medina, em décimo, fecham a dobradinha Brasil-Austrália no top 10.

Os dois intrusos nessa briga particular entre os países são Kelly Slater (EUA), em sexto com 28,400 pontos, e Jeremy Flores (FRA), campeão da etapa do Taiti e atual sétimo colocado no ranking, com 27,250.

Agora, a dúvida que resta é a seguinte: ao final da temporada, quem estará na primeira posição, Brasil ou Austrália?