Luis Fernando Couinho
29/10/2017
11:55
São Paulo (SP

Aos 39 anos e depois de acumular a segunda vitória consecutiva na carreira, Demian Maia não irá se aposentar do MMA. Mas isso não significa que ele não pense no assunto. Depois da derrota para Colby Covington na co-luta principal do UFC São Paulo, ocorrido neste sábado, o brasileiro refletiu sobre o futuro e admitiu que não deve se manter ativo por mais do que dois anos.

Em coletiva de imprensa, o brasileiro anunciou que prevê uma transição em sua vida. Ele pretende deixar o MMA em até dois anos para se dedicar a novos projetos.

- Vou dar a resposta padrão, não sei ainda (sobre o futuro). Meu objetivo é continuar lutando, é um esporte muito difícil. Estou há dez anos no UFC e cada vez é uma montanha-russa de emoções. É algo difícil conseguir viver isso em qualquer outra profissão. Fisicamente, me sinto muito bem. Não sei se luto mais do que dois anos. Começo a me encaminhar para uma transição já. Faz mais ou menos um ano que penso em algumas coisas. Pretendo lutar mais um ano ou dois, mas estou começando a dar uma importância maior a algumas ramificações da minha carreira como as afiliadas da minha academia, meus seminários e tem um projeto em segredo com o UFC. É algo muito legal, de televisão, mas esse tipo de coisa não posso comentar ainda - explicou o lutador.

Demian ainda comentou a postura de Covington, que provocou a torcida brasileira e deixou a arena sob chuva de objetos.

- Nem prestei atenção. O que ele (Colby) falou pra mim, desde o começo da semana, foi que ele me respeitava e que era tudo promoção o que ele estava fazendo. Depois (da luta), ele disse que só fazia isso por promoção. Não é meu estilo, não gosto, mas não vou julgar. O que importa é que ele foi um atleta correto - definiu.