Dudu Dantas (FOTO: Divulgação/Fernando Azevedo)

Dudu Dantas é ex-campeão do Bellator (FOTO: Divulgação/Fernando Azevedo)

LANCE!
25/02/2016
14:58
Rio de Janeiro (RJ)

Eduardo Dantas, mais conhecido como Dudu no meio da luta, estava próximo de alcançar o maior objetivo de sua carreira no momento: ter a oportunidade de lutar pelo título peso-galo (até 61,2kg) do Bellator. Porém, o desafio contra o atual campeão, Marcos "Loro" Galvão", agendado para acontecer nesta sexta-feira, dia 26 de fevereiro, em Kansas(EUA) está cancelado. Segundo informações da organização, reveladas à imprensa na manhã desta quinta-feira Loro sucumbiu à uma doença que ele tentava curar ao longo da semana, e, após consulta médica, ficou decidido que o embate será remarcado.

A notícia frustrou Dudu, que já havia batido o peso para o combate. O carioca, de 27 anos, não quer perder todo o processo desenvolvido durante meses de camp de preparação. Ele se coloca à disposição do Bellator para uma luta contra qualquer peso-galo do evento, pelo título interino da categoria. Dudu recorda ainda um episódio semelhante ao ocorrido, no qual ele esteve na mesma posição de seu adversário, quando era o campeão da divisão, e optou por lutar para não frustrar seu desafiante, evento e fãs.

Abaixo, Dudu Dantas se posiciona sobre o assunto:

"Inicialmente, informo que não quero fazer desse episódio um capítulo polêmico envolvendo o Marcos "Loro" Galvão, lutador profissional e pessoa que respeito muito e tenho um carinho grande, e muito menos o Bellator, organização de MMA que defendo com orgulho. Minha intenção com este comunicado é apenas revelar aos fãs a minha posição sobre o assunto.

Desejo, sonho, vivo, espero por essa luta desde o dia 11 de outubro de 2014, dia seguinte ao ocorrido dentro do cage do Bellator 128, em Oklahoma (EUA) palco da minha luta contra Joe Warren. Perdi na contagem dos juízes laterais. Muita gente questiona aquele resultado, especialmente por um golpe irregular que sofri no último round, mas nunca reclamei. Quando indagado sobre o assunto, não o aponto como responsável pela derrota. Aceitei o revés, a perda do cinturão. Não sou homem e nem lutador de ficar de ‘mimimi’, e o que fiz foi treinar com mais vontade, mais gana, tudo para um único objetivo: subir no cage e lutar pelo título da categoria peso-galo novamente.

Venci mais um adversário duro (Mike Richman) para conquistar essa vaga, ficar próximo do meu foco atual. Me lesionei no meio do caminho, o que é normal nos treinos de intensidade alta, como são os de MMA. Posterguei meu sonho, mas me dediquei ainda mais. Investi na minha carreira, contratei novos treinadores, mudei minha alimentação para melhor, arquei com passagens para meus treinadores, os instalei no mesmo hotel que eu em Kansas, e tudo isso para não dar nada errado. Bati o peso da luta e me sacrifiquei na dieta, o que não é nada fácil para lutador nenhum.

Todos os pontos supracitados se unem e formam o sentimento que vivo agora, o de frustração. É horrível ficar perto do que você tanto almeja, algo que já foi seu e você quer de volta, e não poder lutar para conquista-lo. Eu não desejo isso para nenhum companheiro de profissão. E já passei por isso, poderia ter frustrado um adversário, o evento e milhares de fãs.

Em março de 2014, quando tive Anthony Leone como desafiante ao título, me senti muito mal depois da pesagem oficial, já na madrugada do dia da luta. Fui ao hospital, consultado por médicos, e, mesmo com dores no corpo e com diarreia, optei por lutar. Os médicos e o Bellator me deram a opção de escolha, e escolhi não decepcionar ninguém, apesar do incidente.

Não sei o que houve com o Loro, não sei o quadro no qual ele se encontra, e não vou culpá-lo por nada. Apenas quero entrar em ação pelo título. Por isso, me coloco à disposição para lutar nesta sexta-feira, dia 26 de fevereiro, por um cinturão interino, contra qualquer peso-galo do Bellator ou de fora, caso seja contratado pela organização.

Quem estiver com a mesma vontade que eu estou, lutar e dar um show para os fãs de MMA, procure o Bellator. Eu farei o possível para convence-los de fazer essa luta acontecer!

Obrigado,
Eduardo Dantas Viana"