icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
29/08/2015
10:30

Multicampeão no jiu-jitsu, Augusto Mendes, mais conhecido como "Tanquinho" já começou a repetir o sucesso que teve na arte suave no MMA. O lutador já tem cinco vitórias na carreira, sendo quatro por finalização - três delas pelo Legacy FC. Com moral com a organização, o faixa-preta está em processo de renovação de contrato com a organização, sonha com uma disputa de cinturão e não deixou de falar sobre um sonho de um dia estar no UFC. No entanto, neste fim de semana, ele participa do ADCC, maior torneio de luta agarrada do mundo, que será realizado em São Paulo.

Em entrevista ao LANCE!, Tanquinho afirmou seu desejo de se manter na franquia em que está atualmente, mas ainda está resolvendo as questões financeiras pendentes. O lutador fez questão de elogiar o tratamento que a organização dá a seus funcionários.

- Estou com cinco vitórias na carreira, sendo três pelo Legacy. Agora acabou meu contrato e estamos negociando para renovar. Eu quero isso e foi me prometido uma disputa de cinturão, mas quero ver colocar no papel (risos). Até teve a chance de lutar no dia 2 de outubro, mas eles preferiram que eu focasse no ADCC e depois íamos ver quando lutaria. O evento quer renovar, mas a parte financeira está pendente. Eles tratam bem os atletas, passa na TV nos Estados unidos e o último campeão da divisão foi o Thomas Almeida, que está bem no UFC. O Legacy abre portas - afirmou o atleta.

Apesar de estar feliz no Legacy, o brasileiro não esconde o desejo de um dia fazer parte do UFC. Segundo ele, que treina com nomes como o ex-campeão da organização Ben Henderson, já está no ritmo do evento e acredita que já poderia se sair bem, caso já fosse contratado. O lutador, inclusive, revelou uma conversa com o responsável pelo casamento dos combates no Ultimate.

- O Legacy é um grande evento, tem bastante mídia, mas ganhando o cinturão lá e fazendo boas apresentações, vou ter chance no UFC e acredito que se lutasse lá agora já ia me sair bem. Treino com muita gente do UFC, uns 12 atletas da academia estão lá e isso me deixa confiante. Acho que agora é ganhar experiência. Já até falei com o Sean Shelby (matchmaker do UFC) e falei que estava pronto, que se precisasse de um atleta em cima da hora, estava pronto. Ele disse que tinha meu contrato e qualquer coisa iria entrar em contato - adiantou.

Tanquinho tem quatro vitórias por finalização (FOTO: Divulgação)

Sobre o ADCC, o atleta da MMA Lab, afirma que seu desejo e aceitar a participação no evento, em que nunca ganhou, foi retomar o ritmo de competição e testar seu chão. Tanquinho não participa de um torneio de jiu-jitsu desde 2013, quando foi campeão mundial.

- Fiz 20 anos de jiu-jitsu, competia desde 14 anos. Amo competir. Mesmo depois que me dediquei somente ao MMA, não larguei o jiu-jitsu. Treinava todo dia, botava meu quimono. Faz parte do meu dia a dia. Lutar aqui é para dar mais ritmo de competição mesmo, do que mais treinamento. Queor ver como vou me sair com o ritmo de luta - finalizou o lutador.

Multicampeão no jiu-jitsu, Augusto Mendes, mais conhecido como "Tanquinho" já começou a repetir o sucesso que teve na arte suave no MMA. O lutador já tem cinco vitórias na carreira, sendo quatro por finalização - três delas pelo Legacy FC. Com moral com a organização, o faixa-preta está em processo de renovação de contrato com a organização, sonha com uma disputa de cinturão e não deixou de falar sobre um sonho de um dia estar no UFC. No entanto, neste fim de semana, ele participa do ADCC, maior torneio de luta agarrada do mundo, que será realizado em São Paulo.

Em entrevista ao LANCE!, Tanquinho afirmou seu desejo de se manter na franquia em que está atualmente, mas ainda está resolvendo as questões financeiras pendentes. O lutador fez questão de elogiar o tratamento que a organização dá a seus funcionários.

- Estou com cinco vitórias na carreira, sendo três pelo Legacy. Agora acabou meu contrato e estamos negociando para renovar. Eu quero isso e foi me prometido uma disputa de cinturão, mas quero ver colocar no papel (risos). Até teve a chance de lutar no dia 2 de outubro, mas eles preferiram que eu focasse no ADCC e depois íamos ver quando lutaria. O evento quer renovar, mas a parte financeira está pendente. Eles tratam bem os atletas, passa na TV nos Estados unidos e o último campeão da divisão foi o Thomas Almeida, que está bem no UFC. O Legacy abre portas - afirmou o atleta.

Apesar de estar feliz no Legacy, o brasileiro não esconde o desejo de um dia fazer parte do UFC. Segundo ele, que treina com nomes como o ex-campeão da organização Ben Henderson, já está no ritmo do evento e acredita que já poderia se sair bem, caso já fosse contratado. O lutador, inclusive, revelou uma conversa com o responsável pelo casamento dos combates no Ultimate.

- O Legacy é um grande evento, tem bastante mídia, mas ganhando o cinturão lá e fazendo boas apresentações, vou ter chance no UFC e acredito que se lutasse lá agora já ia me sair bem. Treino com muita gente do UFC, uns 12 atletas da academia estão lá e isso me deixa confiante. Acho que agora é ganhar experiência. Já até falei com o Sean Shelby (matchmaker do UFC) e falei que estava pronto, que se precisasse de um atleta em cima da hora, estava pronto. Ele disse que tinha meu contrato e qualquer coisa iria entrar em contato - adiantou.

Tanquinho tem quatro vitórias por finalização (FOTO: Divulgação)

Sobre o ADCC, o atleta da MMA Lab, afirma que seu desejo e aceitar a participação no evento, em que nunca ganhou, foi retomar o ritmo de competição e testar seu chão. Tanquinho não participa de um torneio de jiu-jitsu desde 2013, quando foi campeão mundial.

- Fiz 20 anos de jiu-jitsu, competia desde 14 anos. Amo competir. Mesmo depois que me dediquei somente ao MMA, não larguei o jiu-jitsu. Treinava todo dia, botava meu quimono. Faz parte do meu dia a dia. Lutar aqui é para dar mais ritmo de competição mesmo, do que mais treinamento. Queor ver como vou me sair com o ritmo de luta - finalizou o lutador.