Santos x Atlético-PR

Atlético-PR pressionou muito o Santos na Vila Belmiro (Foto: Marco Galvão / Fotoarena)

LANCE!
11/08/2017
00:45
Curitiba (PR)

O Atlético-PR caiu, mas saiu de cabeça erguida. O time, que precisava vencer o Santos, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, foi derrotado por 1 a 0, mas mesmo assim o saldo foi positivo. Isso porque a equipe teve um bom desempenho durante os 90 minutos e poderia ter obtido melhor sorte no duelo de volta das oitavas de final da Libertadores da América.

No cômputo geral da partida, o Furacão exigiu, no mínimo, cinco grandes defesas do goleiro Vanderlei e acertou uma bola na trave do Peixe. Por conta disso, o saldo foi considerado positivo pelo clube paranaense.

- Perdemos o jogo, mas ganhamos um grupo. Mostramos que somos grandes para todos. Agora esperamos recuperar os jogadores para o jogo de domingo - afirmou o técnico Fabiano Soares, já projetando o duelo contra o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro.

Para o meia Guilherme, um dos principais jogadores do Atlético-PR, o fator decisivo foi o primeiro jogo, quando o Santos venceu na Vila Capanema - a Arena da Baixada estava sendo utilizado para a Liga Mundial de Vôlei - por 3 a 2.

- Eu não sei se o fato de não termos jogado em casa atrapalhou, mas certamente o resultado de Curitiba pesou nisso tudo - apontou o jogador.

Questionado sobre a postura ofensiva do time, o treinador atleticano prometeu manter o modelo de jogo que, na visão dele, só não trouxe um resultado melhor por falta de sorte.

- O problema foi na finalização que não tivemos sorte. As vezes a bola entra e as vezes não, que foi o que aconteceu hoje. Esperamos que no domingo a bola possa entrar na partida contra o Bahia - complementou Fabiano Soares.

Já o presidente do clube, Luiz Sallim Emed, endossou o coro de que o time saiu pela porta da frente da principal competição da América.

- Libertadores tem que ir jogando, ir se acostumando a participar. Assim um dia você vai ganhar. Temos esperança de que vamos conseguir voltar. Saímos de cabeça erguida - avaliou o dirigente.

Esta foi a quinta participação do Atlético-PR na Libertadores da América. A melhor foi em 2005, quando o Furacão ficou com o vice-campeonato. Nesta e em 2000, o time chegou até as oitavas de final, enquanto nas outras duas ocasiões (2002 e 2014) caiu na fase de grupos.