Paraná x Náutico

Nadson foi o "garçom" do Paraná na temporada, com 13 assistências. (Joka Madruga/Paraná)

Guilherme Moreira
20/12/2016
08:45
Curitiba (PR)

Principal nome na temporada, o meio-campista Nadson, 27 anos, conseguiu rescindir com o Paraná na Justiça através de uma liminar. O jogador alega diversos atrasos e negocia sua transferência para a Chapecoense.

A ação de quase R$ 850 mil envolve um mês de salário (novembro), direitos de imagem (setembro, outubro e novembro), FGTS atrasados (janeiro a novembro) e uma parcela do 13º. O alto valor ainda se justifica pela possibilidade da cláusula compensatória desportiva, que garantiria o pagamento de todos os recebimentos do atleta até o fim do contrato, que termina em dezembro do ano que vem.

A decisão de suspender o vínculo de trabalho, liberando o jogador de seu compromisso com o Tricolor, é da juíza Jacqueline Aises Ribeiro Veloso, da 2.ª Vara do Trabalho de Curitiba. O clube paranaense pode recorrer.

- O clube não pagou e, mesmo que pagasse tudo isso que está devendo, não revogaria essa liminar. Eles querem uma tratativa de acordo, mas não há nada por enquanto - contou Filipe Rino, advogado do meia.

Na segunda-feira, o parecer foi encaminhado para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) publicar a rescisão contratual no Boletim Informativo Diário (BID). Como há uma pena diária em caso de descumprimento, a entidade máxima deve realizar o procedimento ainda nesta semana mesmo estando em recesso. Uma possibilidade de desistir da ação, que chegou a ser ventilada, não existe.

- Como sexta-feira era o último dia do expediente forense, havia essa possibilidade de desistência da ação. Mas, como saiu a decisão, prosseguimos e o processo está intacto. Não existe nenhum vínculo mais com o Paraná e ele está livre - completou Rino.

Contratado junto ao Sampaio Corrêa, Nadson foi o principal destaque na campanha do Estadual. Na Série B, apesar de uma certa irregularidade e até ficar fora por lesão, ele deu nove passes para gols e liderou o quesito ao lado de Nenê, do Vasco da Gama. Com a camisa paranista, o meio-campista fez 42 partidas, com sete gols e 13 assistências.

Apesar da chance remota de acordo, o futuro do jogador deve passar longe do Paraná. O clube paranaense, inclusive, tinha alinhado um empréstimo para a Chapecoense em 2017 e aumentando seu vínculo com a equipe até 2018. Com a ação, o trâmite emperrou. Assim, Nadson pode negociar diretamente com a Chape.

Além do processo, a diretoria paranista ainda pode ter outra dor de cabeça. A Caldense, que detém 50% dos direitos econômicos do meia, promete ir à Justiça para cobrar cláusulas indenizatórias que protegem os sócios pelo prejuízo causado pelo Paraná, cobrando um ressarcimento.

Confira os valores da ação:

Ação total: R$ 848.715,46
Salários: R$ 119 mil
FGTS: R$ 46 mil
13º: R$ 52 mil
Férias: R$ 70 mil
Cláusula compensatória: R$ 500.645,18