Bruno Silva - Botafogo x Atlético-PR

Auxiliar do técnico Paulo Autuori defende o posicionamento da defesa, que joga em linha alta (Foto: Rui Porto Filho/AGIF/Lancepress!)

Daniel Piva
25/05/2016
23:07
Curitiba (PR)

O mau início de Campeonato Brasileiro gera muitas discussões no Atlético-PR. Um dos tópicos mais abordados envolve o sistema defensivo do Furacão, que já foi vazado sete vezes em apenas três rodadas. O auxiliar Bruno Pivetti, um dos assistentes do técnico Paulo Autuori, defende o posicionamento da zaga atleticana, que joga de forma avançada, e diz que a recuperação da bola é que necessita ser melhorada.

Desde a chegada de Paulo Autuori no clube, o Atlético-PR adotou a marcação em linha alta. Consequentemente, o sistema defensivo do time joga de forma avançada e sempre que é contra-atacada o tema gera muita discussão.

Neste Campeonato Brasileiro, o time já sofreu sete gols e quatro deles foram em contra-golpes, o que alimenta ainda mais o debate.

- Na verdade no jogo de hoje os nossos problema foram os gols perdidos e os passes errados, que geraram os contra-ataques. Esses passes errados ocorreram principalmente quando insistíamos nas jogadas pelo meio - aponta o auxiliar Pivetti, que dirigiu o time no banco de reservas diante do Botafogo, devido a suspensão de Paulo Autuori.

Para o auxiliar, o problema atleticano não vem sendo a falta de velocidade da defesa, como muitos apontam. Na opinião de Bruno Pivetti, o Atlético-PR tem que melhorar a recuperação da bola.

- Nós temos que aumentar a pressão no momento em que perdemos a bola. Este é um dos princípios do nosso modelo de jogo. Pressionando nós podemos recuperar a bola ou retardar a jogada do adversário, o que aumenta o nosso tempo para nos ajustarmos - analisa Bruno Pivetti.