RADAR/LANCE!
29/01/2016
16:02
Rio de Janeiro (RJ)

Nem mesmo o fato da CBF ter voltado atrás na decisão de proibir a realização da Primeira Liga mudou os planos de torcedores de Flamengo e Fluminense no fim da manhã desta sexta-feira. Em torno de 40 torcedores dos dois clubes cariocas que participam da competição protestaram em frente à sede da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Segundo informações do site "Globoesporte.com", o grupo foi escoltado por um ônibus e três viaturas da Polícia Militar.

O movimento conseguiu mobilizar poucas pessoas, que levaram faixas que diziam coisas como "indignação" e "Lutem até o fim", em apoio à dupla Fla-Flu. No dia anterior, a Ferj também deu aval para os clubes participarem do torneio. 

- A Primeira Liga é só uma das reivindicações. Tem também a questão do nepotismo dentro da Ferj, a questão da cobrança de taxas abusivas. Eles cobram várias taxas. Mas a principal delas é a questão da transparência. Eu, por exemplo, sou contador. Você pega o balanço da Ferj, e é estranho. Nós achamos um absurdo quererem proibir os clubes a participarem da Primeira Liga - disse o flamenguista Benny Kessel, ao "Globoesporte.com".

Com a liberação da CBF, os jogos da Primeira Liga, que era considerada de caráter amistosa, passaram a ser considerados oficiais. Na noite de quinta, a CBF emitiu comunicado autorizando o campeonato. A posição favorável da CBF também levou a Ferj a liberar a dupla Fla-Flu para o torneio. Por um mal súbito, o presidente da entidade estadual, Rubens Lopes, foi internado em um hospital da Zona Sul do Rio.