icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
26/08/2015
13:51

A Policia Militar promoveu uma reunião na última segunda-feira com representantes das torcidas organizadas de Corinthians e Santos. A conversa durante todo o momento foi direcionada a segurança para o clássico desta quarta-feira entre as duas equipes, na Arena do Timão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

No total foram nove torcidas que participaram da reunião. São elas: as seis corintianas Gaviões da Fiel, Pavilhão 9, Camisa 12, Coringão Chopp, Fiel Macabra e Estopim da Fiel, e as três santistas orcida Jovem, Sangue Jovem e Força Jovem. Todas conversaram com representantes de divisões da PM e também de CET, da CPTM, da Guarda Civil Metropolitana, da Federação Paulista de Futebol, do Metrô e de diretores dos dois times.

A finalidade do evento é definir alguns pontos de segurança para o confronto, como por onde os torcedores irão chegar, qual horário, qual trajeto farão até a chegada do estádio, que momento deixarão a Arena, entre outros.

Uma das ausências na reunião foi da SPTrans (órgão responsável pelo transporte municipal). Com isso, Corinthians e Santos ficaram com a responsabilidade de se comunicar com a entidade para definir chegada e saída da Arena. O que ficou certo é de que o metrô funcionará até 0h30, independentemente se o confronto for decidido nos pênaltis ou não.

A reportagem do site UOL participou da reunião e relatou alguns pontos da conversa. O que pôde ser percebido foram algumas reclamações de policiais com brigas entre as facções e respostas dos respectivos representantes organizados.

- O quê está acontecendo com vocês da Camisa 12? - perguntou o capitão da PM, Alexandre Vilariço, ao corintiano, se referindo ao confronto entre torcedores do Corinthians antes do duelo com o Sport:

- A gente está com um problema, a Camisa 12 está dividida - respondeu o representante da torcida alvinegra, que escutou a despedida do policial:

- Espero que não tenhamos nenhum caso de briga, confronto de torcida. Não temos tido isso e espero que continue assim.

A Policia Militar promoveu uma reunião na última segunda-feira com representantes das torcidas organizadas de Corinthians e Santos. A conversa durante todo o momento foi direcionada a segurança para o clássico desta quarta-feira entre as duas equipes, na Arena do Timão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

No total foram nove torcidas que participaram da reunião. São elas: as seis corintianas Gaviões da Fiel, Pavilhão 9, Camisa 12, Coringão Chopp, Fiel Macabra e Estopim da Fiel, e as três santistas orcida Jovem, Sangue Jovem e Força Jovem. Todas conversaram com representantes de divisões da PM e também de CET, da CPTM, da Guarda Civil Metropolitana, da Federação Paulista de Futebol, do Metrô e de diretores dos dois times.

A finalidade do evento é definir alguns pontos de segurança para o confronto, como por onde os torcedores irão chegar, qual horário, qual trajeto farão até a chegada do estádio, que momento deixarão a Arena, entre outros.

Uma das ausências na reunião foi da SPTrans (órgão responsável pelo transporte municipal). Com isso, Corinthians e Santos ficaram com a responsabilidade de se comunicar com a entidade para definir chegada e saída da Arena. O que ficou certo é de que o metrô funcionará até 0h30, independentemente se o confronto for decidido nos pênaltis ou não.

A reportagem do site UOL participou da reunião e relatou alguns pontos da conversa. O que pôde ser percebido foram algumas reclamações de policiais com brigas entre as facções e respostas dos respectivos representantes organizados.

- O quê está acontecendo com vocês da Camisa 12? - perguntou o capitão da PM, Alexandre Vilariço, ao corintiano, se referindo ao confronto entre torcedores do Corinthians antes do duelo com o Sport:

- A gente está com um problema, a Camisa 12 está dividida - respondeu o representante da torcida alvinegra, que escutou a despedida do policial:

- Espero que não tenhamos nenhum caso de briga, confronto de torcida. Não temos tido isso e espero que continue assim.