icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
26/08/2015
21:39

O Fluminense mostrou nesta quarta-feira que não estava nem aí para bicho Papão ou Pokémon. Mesmo sem Ronaldinho Gaúcho e Fred, o Tricolor carioca adotou uma estratégia correta, venceu novamente o Paysandu por 2 a 1 e garantiu vaga para as quartas de final da Copa do Brasil. 

Mesmo com dez desfalques (seis titulares) e diante de um Mangueirão com aproximadamente 33 mil pessoas pressionando, o Fluminense não se intimidou. Conseguiu anular bem o ímpeto ofensivo do Papão (sobretudo Yago Pikachu). Ofensivamente, Magno Alves, Marcos Junior e Cícero davam trabalho com uma movimentação constante.

A postura tricolor deu resultado aos 16 minutos, quando Victor Oliveira cruzou na medida para Cícero (aniversariante do dia), de cabeça, deixar o Fluminense em uma situação mais confortável no confronto. No minuto seguinte, Dado Cavalcanti precisou queimar uma substituição e ousou: tirou Ricardo Capanema, machucado, e colocou o atacante Misael.

Precisando fazer dois gols para levar o jogo para os pênaltis, o Paysandu tentava, na base da raça, chegar ao gol de Júlio César. No entanto, muitos erros de passes eram cometidos. O Fluminense, por sua vez, também passou a vacilar. E foi em um deles que o Papão chegou ao empate: Victor Oliveira derrubou Aylon na área. Pênalti convertido por Yago Pikachu, o 'dono' do time paraense.



Com o jogo aberto, as duas equipes voltaram ligadas e a partida em alta velocidade. Chances apareceram e o Fluminense aproveitou uma boa triangulação ofensiva que contou com as participações de Gustavo Scarpa, Magno Alves e a conclusão de Marcos Junior para ficar novamente em vantagem.

O relógio voltou a ser inimigo do Paysandu. A necessidade de três gols fez com que os donos da casa tentassem de forma desordenada tirar a desvantagem. Já o Fluminense administrava esse nervosismo e seguia assustando na frente. Aos 32 minutos, o atacante Betinho acertou uma cotovelada no rosto de Edson, que precisou deixar o gramado de ambulância, e foi expulso. O jogador do Flu foi encaminhado para hospital e exame apontou uma fratura no nariz do jogador.

No fim, uma classificação merecida da equipe de Enderson Moreira, que mesmo sem os principais jogadores soube aniquilar Yago Pikachu e a turma do Papão.

FICHA TÉCNICA
PAYSANDU 1 x 2 FLUMINENSE

Local: Mangueirão, em Belém (PA)
Data: 26/08/2015, 19h30
Árbitro: Luis Teixeira Rocha (RS)
Assistentes: Fábio Pereira (Fifa/TO) e Carlos Henrique Selbach (RS)
Renda/Público: R$1.495.726,00 / 31.418 (pagantes)
Cartões amarelos: Aylon, Fahel, João Lucas e Augusto Recife (PAY). Edson, Victor Oliveira, Júlio César e Pierre (FLU)
Cartão vermelho: Betinho (PAY)
GOLS: Cícero 0-1 (16'/1ºT), Yago Pikachu 1-1 (pênalti, 40'/1ºT), Marcos Júnior 1-2 (8'/2º)

PAYSANDU: Emerson, Yago Pikachu, Thiago Martins, Gualberto e João Lucas; Ricardo Capanema (Misael, 18'/1ºT), Fahel (Betinho, 20'/2ºT), Jhonnatan e Carlinhos (Augusto Recife, 41'/2ºT); Aylon e Leandro Cearense - Técnico: Dado Cavalcanti.

FLUMINENSE: Júlio César, Renato, Gum, Marlon e Victor Oliveira; Edson (Pierre, 40'/2ºT), Jean, Gustavo Scarpa, Marcos Júnior (Vinícius, 29'/2ºT) e Cícero; Magno Alves (Higor Leite, 46'/2ºT) - Técnico: Enderson Moreira.

O Fluminense mostrou nesta quarta-feira que não estava nem aí para bicho Papão ou Pokémon. Mesmo sem Ronaldinho Gaúcho e Fred, o Tricolor carioca adotou uma estratégia correta, venceu novamente o Paysandu por 2 a 1 e garantiu vaga para as quartas de final da Copa do Brasil. 

Mesmo com dez desfalques (seis titulares) e diante de um Mangueirão com aproximadamente 33 mil pessoas pressionando, o Fluminense não se intimidou. Conseguiu anular bem o ímpeto ofensivo do Papão (sobretudo Yago Pikachu). Ofensivamente, Magno Alves, Marcos Junior e Cícero davam trabalho com uma movimentação constante.

A postura tricolor deu resultado aos 16 minutos, quando Victor Oliveira cruzou na medida para Cícero (aniversariante do dia), de cabeça, deixar o Fluminense em uma situação mais confortável no confronto. No minuto seguinte, Dado Cavalcanti precisou queimar uma substituição e ousou: tirou Ricardo Capanema, machucado, e colocou o atacante Misael.

Precisando fazer dois gols para levar o jogo para os pênaltis, o Paysandu tentava, na base da raça, chegar ao gol de Júlio César. No entanto, muitos erros de passes eram cometidos. O Fluminense, por sua vez, também passou a vacilar. E foi em um deles que o Papão chegou ao empate: Victor Oliveira derrubou Aylon na área. Pênalti convertido por Yago Pikachu, o 'dono' do time paraense.



Com o jogo aberto, as duas equipes voltaram ligadas e a partida em alta velocidade. Chances apareceram e o Fluminense aproveitou uma boa triangulação ofensiva que contou com as participações de Gustavo Scarpa, Magno Alves e a conclusão de Marcos Junior para ficar novamente em vantagem.

O relógio voltou a ser inimigo do Paysandu. A necessidade de três gols fez com que os donos da casa tentassem de forma desordenada tirar a desvantagem. Já o Fluminense administrava esse nervosismo e seguia assustando na frente. Aos 32 minutos, o atacante Betinho acertou uma cotovelada no rosto de Edson, que precisou deixar o gramado de ambulância, e foi expulso. O jogador do Flu foi encaminhado para hospital e exame apontou uma fratura no nariz do jogador.

No fim, uma classificação merecida da equipe de Enderson Moreira, que mesmo sem os principais jogadores soube aniquilar Yago Pikachu e a turma do Papão.

FICHA TÉCNICA
PAYSANDU 1 x 2 FLUMINENSE

Local: Mangueirão, em Belém (PA)
Data: 26/08/2015, 19h30
Árbitro: Luis Teixeira Rocha (RS)
Assistentes: Fábio Pereira (Fifa/TO) e Carlos Henrique Selbach (RS)
Renda/Público: R$1.495.726,00 / 31.418 (pagantes)
Cartões amarelos: Aylon, Fahel, João Lucas e Augusto Recife (PAY). Edson, Victor Oliveira, Júlio César e Pierre (FLU)
Cartão vermelho: Betinho (PAY)
GOLS: Cícero 0-1 (16'/1ºT), Yago Pikachu 1-1 (pênalti, 40'/1ºT), Marcos Júnior 1-2 (8'/2º)

PAYSANDU: Emerson, Yago Pikachu, Thiago Martins, Gualberto e João Lucas; Ricardo Capanema (Misael, 18'/1ºT), Fahel (Betinho, 20'/2ºT), Jhonnatan e Carlinhos (Augusto Recife, 41'/2ºT); Aylon e Leandro Cearense - Técnico: Dado Cavalcanti.

FLUMINENSE: Júlio César, Renato, Gum, Marlon e Victor Oliveira; Edson (Pierre, 40'/2ºT), Jean, Gustavo Scarpa, Marcos Júnior (Vinícius, 29'/2ºT) e Cícero; Magno Alves (Higor Leite, 46'/2ºT) - Técnico: Enderson Moreira.