Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro (Foto: Divulgação)

Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro (Foto: Divulgação)

LANCE!
29/01/2016
17:59
Belo Horizonte (MG)

A reunião da Primeira Liga, na tarde desta sexta-feira (29), teve um propósito completamente diferente do que se esperava. As questões referentes à realização do torneio já são tratadas como passado por seus integrantes. O pensamento atual é: como angariar novas receitas a fim de tornar a competição mais rentável?

Na saída da sede administrativa do Cruzeiro, no Barro Preto, bairro da região centro-sul de Belo Horizonte, Gilvan de Pinho Tavares – mandatário da Raposa e da Primeira Liga – se pronunciou e explicou o motivo do encontro entre os dirigentes.

– A principal pauta da reunião foi dispensada, já que a CBF autorizou a continuidade da Liga. Ontem (quinta-feira), o presidente do Flamengo, Bandeira de Melo, me mandou por Whatsapp que a CBF havia autorizado e que o torneio do próximo ano se tornará oficial. Enviei a mensagem para todos os presidentes dos clubes, que comemoraram muito. Hoje, a reunião foi mais para tratar de patrocínios, calendários e outras coisas, mas precisamos ter mais reuniões para tratar essas questões – afirmou.

O dirigente cruzeirense não esconde que o seu desejo, nos próximos anos, é que o torneio substitua o Campeonato Brasileiro, atualmente realizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF):

– A CBF atravessa um momento de transição, e estamos dando todo o apoio. A tendência é que, no futuro, a CBF tome conta, com toda competência e carinho, do futebol da seleção brasileira. A intenção da Liga é evoluir e se tornar uma Liga Nacional. Estamos felizes com esse acordo, e outros clubes que não fazem parte da Liga já se manifestaram e demonstraram interesse em se juntar a nós. Esperamos que todos os grandes clubes venham, como os de São Paulo, e os de outros estados também.