Genesis - Boa Esporte

Genesis  (com a camiseta na mão) comemora o gol que classificou o Boa Esporte para a Série B (Foto: Facebook/BoaE)

Fernão Ketelhuth
11/10/2016
18:17
 São Paulo (SP)

Gênesis é o primeiro livro da Bíblia. Trata da criação do mundo, da origem da vida. O termo tem raiz no idioma grego. Significa nascimento, princípio, fonte. Em Varginha, cidade mineira famosa pelo suposto aparecimento de uma criatura extraterrestre, a palavra ganhou nova definição no domingo. Passou a ser, também, sinônimo de alívio.

Genesis Fernandes de Andrade é um atacante mato-grossense de 25 anos. Foi dele o único gol da vitória do Boa Esporte sobre o Botafogo-PB, no Estádio Prefeito Dilzon Melo, pelas quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro. O resultado levou o clube varginhense de volta à Segunda Divisão - o jogo de ida, em João Pessoa, havia terminado em 0 a 0.

A classificação teve algo de sobrenatural. Contratado pelo Boa Esporte no início de setembro, após fazer 17 gols pelo Altos-PI nesta temporada, Genesis substituiu o paraguaio Braian Samudio aos 28 minutos do segundo tempo. O técnico Ney da Matta lhe pediu para ficar entre os zagueiros adversários e apertar a saída de bola da equipe paraibana, que parecia conformada com a perspectiva de decidir a vaga na disputa por pênaltis.

Antes de entrar em campo, o artilheiro escutou um conselho que lhe pareceu profecia.

- O Daniel Cruz, que também é atacante, estava fazendo aquecimento junto comigo. Ele falou que eu ia entrar e teria uma oportunidade. Disse assim: "Se te derem a bola e você estiver de costas (para o gol), gira rápido e chuta. Não pensa muito, não".

Fez-se a luz!

'O Adriano é meu ídolo, o jogador em que sempre procurei me espelhar', diz Genesis

O árbitro Luiz Flávio de Oliveira sinalizou sete minutos de acréscimos. Aos 50, Genesis recebeu de costas para a meta botafoguense, ajeitou com a canhota e, mesmo marcado, finalizou rasteiro, da entrada da área. Mal acreditou quando viu a bola beijar a bochecha da rede, a centímetros da trave esquerda. Tirou a camisa e partiu em disparada rumo à arquibancada coberta. No caminho, foi agarrado pelos colegas de time, que lhe deram incontáveis tapas na cabeça, em uma estranha demonstração de carinho.

Ao fim do jogo, sentado na grama, desandou a chorar.

- Vida de jogador é difícil. Cada hora você está em um clube, em uma cidade diferente. Mas quando você faz um gol como esse, a emoção é muito grande. Não dá para explicar, não. Fui abençoado por Deus - acredita.

Genesis é de Araputanga, distante 354 km de Cuiabá, a capital do Mato Grosso. O pai, professor de ensino fundamental, foi quem decidiu dar o nome incomum ao filho. Católico, Joaquim José queria que o primogênito representasse o início (a gênese) de sua família. A mãe, Marli, gostou da ideia. As crianças da cidade, também. Na escola, divertiam-se chamando o colega de Apocalipse, em alusão ao fim do mundo descrito no Livro Sagrado.

Genesis - Boa Esporte
Genesis tem 19 gols na temporada (Foto: Divulgação/Boa Esporte)


A história do mato-grossense no futebol começou a ser escrita aos 17 anos, quando ele e o irmão, Gean, mudaram-se para Goiânia. Um conhecido prometeu colocá-lo na base do Goiás. Não permaneceu no Esmeraldino, mas conseguiu se profissionalizar pelo Goiânia.

Tornou-se um cigano da bola. Já não se lembra de todas as camisas que vestiu. Desde 2010, passou por 11 equipes diferentes. Foram 17 transferências, a maioria entre clubes pequenos do Centro-Oeste, como Formosa-GO e Bom Jesus-GO. Em 2012, pelo Tocantinópolis-TO, foi um dos artilheiros do Brasil na temporada, com 19 gols. Ganhou o apelido de Imperador.

- O Adriano é meu ídolo, o jogador em que sempre procurei me espelhar. É forte, chuta bem de esquerda. Como eu sempre falava dele nos treinos, na concentração antes dos jogos, começaram a me chamar de Imperador. Acabou pegando - diz o atacante, fazendo a ressalva de que a admiração pelo centroavante, ex-Flamengo, restringe-se ao futebol.

- Não gosto de balada, não. Prefiro ficar em casa com minha mulher e minha filha.

Genesis não sabe onde vai jogar em 2017. O empréstimo para o Boa Esporte termina em dezembro e o clube mineiro ainda não se manifestou sobre exercer a opção de compra. O vínculo com o Altos-PI também se encerra no fim deste ano. O sonho do atacante é atuar em um clube de projeção nacional. Talvez recebesse oportunidades melhores se tivesse um empresário. É o pai quem cuida de sua carreira.

Apesar da incerteza, Genesis se recusa a reclamar da sorte. Tem fé em dias melhores.

- Estou fazendo o meu papel. Trabalho sério para ajudar as equipes onde jogo, venho conseguindo me destacar. Aos poucos, as coisas vão acontecer para mim. Deixo sempre o meu futuro nas mãos de Deus - reconhece.

Quem é
Nome: Genesis Fernandes de Andrade
Posição: centroavante
Idade: 25 anos
Local de nascimento: Araputanga (MT)
Clubes: Goiânia, Grêmio Anápolis, Inhumas, Tocantinópolis, Trindade, Canedense, Operário, Formosa, Bom Jesus, Altos e Boa Esporte
Gols em 2016: 19