RADAR/LANCE!
19/07/2016
18:07
Londres (ING)

A corrida para o cargo de treinador da seleção inglesa parece, enfim, estar chegando ao final.  Na próxima quinta-feira acontecerá uma reunião da FA (Associação de Futebol) entre Martin Glenn, Dan Ashworth e David Gill, para apontar os candidatos à vaga de técnico do 'English Team'.

Deve Glenn, chefe-executivo da FA, Ashworth, diretor técnico, e Gill, o vice-presidente, concluíram o seus processos de entrevistas. A reunião do conselho deve se tornar um exercício para eleger o sucessor de Hodgson, mas, por enquanto, é apenas um processo de levantamento de nomes. Independente do que aconteça, quatro homens devem estar na lista da FA. Veja os possíveis candidatos:

Sam Allardyce (61 anos – Técnico do Sunderland)

Razões para contratá-lo:
É o candidato mais forte entre os nomes já disponíveis. Levando em consideração os clubes que já treinou, nunca passou por um rebaixamento no Campeonato Inglês. Realizou um verdadeiro milagre ao manter o Sunderland fora da zona do rebaixamento na última temporada da competição nacional. Atrás da postura séria e impetuosa, Allardyce mostra ser um técnico bastante inteligente e inovador, sendo um dos primeiros ao aceitar e se adaptar ao uso das mais diferentes tecnologias para aprimoramento do esporte.

Tecnicamente provou ser habilidoso. É um especialista para definir equipes em jogos específicos. Sabe extrair o máximo de jogadores, assim como conduzir e administrar atletas de grande ego, como Jay-Jay Okocha, Youri Djorkaeff e Nicolas Anelka no Bolton. É um bom ouvinte, recebe bem o que as pessoas têm a lhe dizer (comissão técnica, jogadores, relatórios de análise) e faz com que as pessoas tenham a sensação de que podem trabalhar "com ele" em vez de "para ele".

Tem uma boa visão sobre o futebol inglês. Em um cenário não tão abrangente, também conhece o lado obscuro do esporte. Para ele, a saúde e o bem-estar dos jogadores são sempre uma preocupação primordial. É experiente e saberá enfrentar crises e críticas da mídia e também dos torcedores.

Razões para não contratá-lo: Conhecido pelo estilo de bola longa, Allardyce é um homem pragmático que não irá se desculpar caso precise usar uma tática óbvia para não perder uma partida. Pode, inclusive, limitar alguns jogadores que têm condições de criar e ajudar o jogo a fluir. Às vezes é politicamente incorreto, o que pode causar atritos dentro dos corredores da FA. Apesar de ser bastante popular, fez alguns inimigos, tais como Rafel Benitez e Arsène Wenger.

Steve Bruce - (55 anos – Técnico do Hull City)

Razões para contratá-lo: É experiente. O ex-capitão do Manchester United já fez 800 jogos como treinador e conseguiu quatro acessos para a primeira divisão do Campeonato Inglês. Bruce costuma montar times competitivos.

Razões para não contratá-lo: O maior intervalo de sua carreira (no Sunderland) terminou em lágrimas. Apesar de ser de longe uma figura popular, sua antiga forma de agir ainda causa más lembranças em St. George’s Park. Jogadores costumam lhe responder bem durante certo tempo. É muito mais um gestor do que um técnico de campo.

Jürgen Klinsmann (51 anos – Técnico da seleção dos Estados Unidos)

Razões para contratá-lo:
Possui experiências consideráveis de nível internacional com as seleções da Alemanha e dos Estados Unidos. É um homem otimista e não terá dificuldade para tirar os aspectos positivos de encarar este desafio.

Razões para não contratá-lo: Alguns críticos costumam duvidar de sua capacidade. Dizem que ele precisa ter um assistente de alto nível ao seu lado para ajuda-lo a tomar decisões. Teria tido o sucesso com a seleção da Alemanha, quando a conduziu até o terceiro lugar na Copa do Mundo de 2006, se seu assistente não fosse Joachim Löw? Tem o hábito de se desentender facilmente com as pessoas e tornar os problemas ainda mais difíceis. Deixou o Bayern de Munique antes mesmo de a temporada terminar (em 2009), após uma campanha decepcionante. Não tem experiências significativas no comandando de clubes e o mais importante: nunca treinou uma equipe na Inglaterra.

Eddie Howe (38 anos – Técnico do Bounemouth)

Razões para contratá-lo:
Um dos mais promissores técnicos jovens do futebol inglês. Articulável, convincente e humilde. Possui a inestimável – e cada vez mais rara – forma de conduzir vitórias com entretenimento, atacando de maneira sofisticada e fazendo o futebol fácil de se assistir. Terminou em 16ª colocado com o Bournemouth em sua primeira temporada no clube.

Razões para não contratá-lo: Ainda é muito jovem, pode ser muito cedo para assumir um cargo que poderia arruinar sua carreira promissora. Já temos o exemplo de Steve McClaren, um também técnico talentoso, que assumiu a equipe em 2006 e não deu certo. Howe nunca assumiu o comando de um clube de maior expressão, com maiores exigências e que demanda maior controle com a mídia.

*Louise Taylor - jornalista do 'The Guardian'