Alex Sabino -
22/11/2016
08:00
São Paulo (SP)

Juan Felipe foi um Menino da Vila. Fez as categorias de base no Santos com sonhos de ser Robinho ou Neymar. Rodou por clubes pequenos do interior em busca de destaque, como tantos outros fazem. Aos 28 anos encontrou a felicidade. O meia-atacante brasileiro é rei na Macedônia.

– Depois que cheguei aqui consegui guardar dinheiro, fazer investimentos. O contrato que fiz é muito bom e os dirigentes querem que eu permaneça até depois de encerrar a carreira. Por que não? É algo que pode acontecer. É bom ser reconhecido e valorizado – explica o jogador, ao LANCE!.

Juan é o astro do Vardar, o atual campeão nacional. Nas últimas duas temporadas, realizou o sonho de disputar a Liga dos Campeões da Europa. Fases preliminares, claro. Mas mesmo assim...

– Jogar na Macedônia pode ser diferente para as outras pessoas. Claro que eu sonhava estar na Inglaterra, Itália... Mas não tenho do que reclamar. Consegui coisas aqui que não tive em outros lugares – completa o brasileiro.
Isso significa ser reconhecido na rua, posar para fotos e dar autógrafos.

Receber do clube passagens aéreas para a família visitá-lo, pagar escola para os três filhos. Já ouviu conversas de que pode se naturalizar e atuar pela seleção local. A Federação tenta encontrar brechas na lei para isso acontecer.
– Nem se compara com a situação que eu vivia no Brasil.

Depois de sair do Santos, Juan virou peregrino do futebol. Passou pelo São Vicente, da Quarta Divisão do Paulista. Foi para o Mirassol, Mogi Mirim, Santo André, Red Bull Brasil, Oratório de Macapá, Oriente Petrolero, na Bolívia... Uma vida de jogar quatro meses e depois se preocupar em descobrir qual seria o próximo clube.

Ele mora em Skopje, a maior cidade do país. Terra de Alexandre, o Grande, um dos maiores líderes militares da história, conquistador de territórios na Ásia e no nordeste da África. Berço também de Madre Teresa de Calcutá, religiosa canonizada pelo Vaticano neste ano.

Juan cita de memória os fatos históricos da casa adotiva. Aprendeu a falar macedônio e serve de tradutor para outro brasileiro recém-chegado no clube, Jonathan Balotelli. Fala dos lugares de Skopje que vale a pena conhecer. Onde leva os filhos nos dias de folga...

– É bem diferente do Brasil. O custo de vida aqui é baixo. Você pode sair tranquilo à noite, sem medo de ser assaltado. Sente-se seguro na rua. Para quem não conhece, é um lugar que vale a pena visitar.

O Vardar é o atual líder da liga local. Camisa 10 e principal armador da equipe, Juan Felipe tem quatro gols marcados. No futebol da Macedônia, o brasileiro é elite porque os estrangeiros recebem mais do que os locais, embora ele não diga quanto.

Juan poderia até pensar em encerrar a carreira no Brasil. Seria o caminho natural no futuro. Para que trocar o certo pelo duvidoso? Não há motivo para sair de onde, enfim, encontrou a felicidade.

– Ninguém me vê jogando (no Brasil), mas eu preciso ficar em um lugar em que me reconhecem e valorizam. Nunca imaginei que sequer jogaria na Macedônia. Agora penso em ficar aqui por muito tempo. Quando cheguei, não tinha informação nenhuma de nada sobre o país. Encontrei a alegria e, se realmente quiserem que fique, vou ficando...


BATE-BOLA - JUAN FELIPE

Alguma vez imaginou ser possível jogar na Macedônia?
Você nunca imagina. Sempre quis jogar na Europa, mas queria passar primeiro por um grande clube brasileiro. Não foi assim. A vida tem dessas coisas. A gente não espera.

Aceitaria voltar para o Brasil?
Não sei. As coisas estão bem difíceis no Brasil. Se me chamarem para jogar na seleção da Macedônia, eu vou. O pessoal gosta de mim e eu gosto muito do país. Seria uma chance de retribuir tudo o que recebi. No Brasil, o jogador atua por quatro meses e depois fica parado. Passei por isso e não quero mais.

A sua família e amigos não veem você jogar. Isso não incomoda um pouco?
Infelizmente. Porque o futebol aqui é bom. Só precisa de mais estrutura, mas precisa de um pouco mais de estrutura. Isso vem com o tempo.

Você está feliz na Macedônia?
Estou. Aqui eu vivo com tranquilidade. Joguei em muitos clubes e me encontrei aqui.