Lazlo Dalfovo
13/07/2017
13:12
Rio de Janeiro (RJ)

O dia 13 de julho de 2014, há exatos três anos, poderia ser o mais especial na história da Seleção Brasileira. Não foi. No Maracanã, pela final da Copa do Mundo, estavam Alemanha, que havia eliminado o Brasil nas semifinais (melhor nem lembrar como) e Argentina, de Messi e companhia.

Durante os 90 minutos, nada de bola na rede. Chances desperdiçadas aqui, outras acolá, e o melhor foi guardado para a prorrogação. Nos minutos extras, vantagem para os germânicos, que contaram com um herói improvável. Ele atendia por Mario Götze, no campo desde o fim da segunda etapa.

Aos oito minutos da prorrogação, Mario, baixinho como o xará lendário dos games, foi atrás de sua Princesa naquela tarde: o gol do título. E anotou, depois de finalizar com precisão, após dominar no peito, contando, é claro, com ótima assistência de Luigi, ou melhor, de Schürrle.

Três anos depois, Götze, que imaginávamos que decolaria após o ato heroico, estacionou na carreira. Mesmo após levantar a taça do Mundial, o meia, que estava no Bayern de Munique, seguiu sem encontrar seu espaço na equipe bávara, comandada por Pep Guardiola à época.

Sobre o Bayern, cabe ressaltar que Götze chegou cercado de expectativas, em 2013, após brilhar com a camisa do rival Borussia Dortmund - onde foi revelado. Na temporada pós-Copa (2014/15), fez 15 gols em 48 jogos. Na seguinte, marcada diversas por lesões musculares, foi ainda mais discreto, quando pouco atuou: 21 jogos e seis gols marcados.

Em 2016, Mario Götze optou por "desfazer a traição" à torcida aurinegra, e, por uma quantia próxima aos 25 milhões de euros (R$ 89,7 milhões na cotação da época), retornou à sua origem ao assinar com o Dortmund até junho de 2020. 

Abraçado por Reus, seu antigo-novo companheiro, o camisa 10, contudo, possuía números modestos - três gols e duas assistências em 24 partidas disputadas - até mergulhar em um pesadelo: sofrer de uma rara doença metabólica, conhecida como miopatia metabólica.

Constatada a doença, que pode ser genética ou adquirida, Götze foi afastado dos gramados em fevereiro para iniciar o tratamento. Seu último jogo se deu no dia 29 de janeiro, em empate por 1 a 1 contra o Mainz 05. O início da manifestação da miopatia pode estar relacionada ao crescente no número de lesões do jovem atleta, hoje aos 25 anos e pronto para dar a volta por cima.

Mas, afinal, o que é a miopatia? De acordo com o doutor Edmar Zanoteli, chefe do Grupo de Miopatias do Hospital das Clínicas de São Paulo, em entrevista ao portal da "RedeTV!", é uma doença muscular que deixa os membros fracos e doloridos, afetando a capacidade da fibra muscular em produzir energia suficiente para a contração muscular. Pode dificultar até a realização de atividades físicas cotidianas, como subir e descer escadas.

RETORNO PRÓXIMO

Felizmente, Götze está perto de retornar aos gramados. Há cerca de um semana, o jogador voltou a treinar com o elenco de Peter Bosz, e, comovido, postou uma bela mensagem nas redes sociais, onde explicou seu tratamento e agradeceu aos fãs.

Hello everyone, due to a metabolic disorder, I was unable to play football lately. During the last few months I have gone through a successful treatment and I am back on track now. Tomorrow I will start with the 3rd stage of my recovery program. This means I will complete the performance test and begin training with the team soon. I am more than excited to be back in the stadium and on the training ground again. A few important things for you to know: First, I am very proud of my BVB teammates and I am so happy they took home the DFB Cup. The pictures of all of you, the fans, celebrating in the city reminded me of my first victories with the club. Second, I would like to congratulate my teammates of the German national team for winning the Confed Cup as well as the German U21 for their victory at the European Championships. I am extremely proud to be a member of the team and of the DFB. I would also like to wish my younger brother success on the U19 national team. I’ll keep my fingers crossed for you!! Last but not least, I would like to give a big thanks to all of my fans. You all have supported me so much during the last few months. Your messages and get-well wishes were motivating and greatly appreciated. Thank you Aki Watzke and Michael Zorc for your trust in me during this difficult time of recovery.It helped a lot. Thanks to my team, my doctors, and my fitness coach, and all the other people who stuck by me. For all of the patience, support, and positive energy, thank you to my family and my fiancée @annkathrin_vida I have much to be thankful for. See you on the pitch! Best wishes, Mario

Uma publicação compartilhada por ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀MARIO GÖTZE (@gotzemario) em

A expectativa (ainda que remota) é que Mario Götze volte a jogar na manhã deste sábado, quando o Dortmund será testado na excursão à Ásia, de pré-temporada. O desafio será diante do Urawa Red Diamonds (Japão). Na próxima terça, tem o poderoso Milan pela frente. Ao menos alguns minutos devem ser marcados pelo retorno da fera.

O futebol agradece - e ainda espera os melhores dias de Super Mario.