LANCE!
21/05/2016
17:54
Berlim (ALE)

A despedida de Pep Guardiola do Bayern de Munique durou mais de 120 minutos para ser concretizada com um final feliz e dramático. Neste sábado, no Estádio Olímpico de Berlim, na final da Copa da Alemanha, o técnico chorou ao ver Douglas Costa decretar o placar de 4 a 3 sobre o Borussia Dortmund, nos pênaltis, após um marcador zerado no tempo regulamentar e na prorrogação.


Guardiola deixa o Bayern para assumir o City com três Bundesligas, duas Copas da Alemanha, um Mundial de Clubes e uma Supercopa da Europa.

O Bayern de Munique foi mais incisivo desde o primeiro tempo e praticamente não deixou o Borussia Dortmund jogar. O primeiro arremate dos aurinegros veio apenas aos 33 minutos de clássico, sem nenhum perigo para o gol de Neuer. A única saída do time do Vale do Ruhr era buscar a velocidade ou um lance individual, duas opções quase inexistentes.

Se o ataque não funcionou, a defesa do Borussia Dortmund se apresentou muito bem. Apesar de estar no campo de ataque frequentemente e de criar mais chances de perigo, o Bayern não chegou a exercer uma pressão mais aguda.

Bayern x Borussia
Guardiola: mais um dia intenso de trabalho (TOBIAS SCHWARZ/AFP)


Conforme o relógio avançava, a partida começava a ganhar contornos mais intensos e dramáticos. Os bávaros seguiam em cima, tentando de todas as formas superar a Muralha Amarela. Quando os zagueiros ficavam para trás, o goleiro Burki salvava. O Borussia, por sua vez, apertava a marcação e tentava se assanhar em algum contra-ataque. No melhor deles, Aubameyang, sozinho, conseguiu completar para fora.

De saída para o Bayern de Munique, Hummels não suportou os 90 minutos e, lesionado, deixou o Borussia Dortmund antes do apito final, substituído por Ginter. Sem o defensor, os aurinegros conseguiram levar a decisão para a prorrogação.

O tempo extra não foi muito diferente. O Bayern com mais posse de bola, tocando muito mais e procurando brechas para atacar. O Borussia, sempre entocado atrás, com cautela e fazendo o tempo passar e desperdiçando contragolpes incríveis. O cansaço também foi fundamental para afetar o desempenho dos rivais. Faltou até força para chutar e não teve jeito. A decisão foi para os pênaltis.


Na marca da cal, o Borussia Dortmund falhou duas vezes com Bender e o gigante Sokratis. O Bayern de Munique teve apenas uma cobrança desperdiçada. Na última, Douglas Costa definiu o último título de Pep Guardiola pelos bávaros.