Wellington Silva

Wellington Silva é titular na lateral-direita do Tricolor (Foto: Marcelo Cortes/Fotoarena/Lancepress!)

LANCE!
04/08/2016
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

"As coisas mudam muito rápido no futebol". Esta máxima se aplica ao Fluminense de 2016. Há algumas poucas semanas, o clima nas Laranjeiras era de pura tensão, com protestos da torcida e confusão na sede do clube. Após duas boas atuações e vitórias, o sentimento é de otimismo entre o elenco e comissão técnica.

Além disso, os reforços contratados em julho – foram seis no total –, deram ao técnico Levir Culpi boas opções para montar a equipe, o que aumentou a competitividade e o nível das atividades nas Laranjeiras.

No entanto, o Tricolor segue sem ter uma sequência positiva no Brasileirão. Para o lateral-direito Wellington Silva já passou a hora da equipe embalar na competição nacional.

– Estamos conseguindo os pontos como mandantes, mas não quando atuamos fora. Essa cobrança existe – disse o lateral após o treino ontem.

Titular absoluto no time de Levir Culpi, Wellington Silva não espera encontrar facilidades no próximo domingo, quando o Fluminense vai ao Rio Grande do Sul enfrentar o Internacional no Estádio Beira-Rio.

O Colorado, por sua vez, vive situação oposta a do clube carioca. Bem no início do Brasileirão, chegou a ocupar as primeiras posições, mas agora já não vence há nove rodadas e caiu para a parte de baixo da tabela. No último domingo, após a derrota para o Corinthians, alguns torcedores do Inter vandalizaram o Beira-Rio, quebrando janelas e carros de funcionários do clube gaúcho.

Wellington Silva, que já defendeu o Internacional por uma temporada, vê o Fluminense em condições de vencer no Sul. Além disso, o lateral acha que a pressão sobre o rival pode jogar a favor do time de Levir Culpi.

– Será um jogo muito difícil. Mesmo nessa crise, o Inter é uma equipe forte. Já joguei lá e sei como a torcida empurra o time no Beira-Rio – disse, antes de completar:

– Vão estar pressionados. Se passarem 15 minutos e a bola deles não entrar, a torcida vai pegar no pé e isso pode nos favorecer.