Matheus Babo 
13/05/2016
07:45
Rio de Janeiro (RJ)

Não é segredo que o grande sonho do Fluminense é voltar a disputar a Libertadores. Para isso acontecer, o Tricolor tem duas chances em 2016: ganhar a Copa do Brasil ou terminar entre os quatro primeiros colocados no Campeonato Brasileiro. É com este objetivo que a equipe comandada por Levir Culpi pretende iniciar bem a disputa da competição, diante do América-MG, no Independência, estádio em que o novo técnico tricolor foi muito feliz.

Atual vice-campeão brasileiro, Levir Culpi (comandou o Atlético-MG em 2015) sabe do que precisa para se manter entre os primeiros colocados da competição. O atual elenco é considerado qualificado pelo treinador, mas ele não esconde o desejo e a necessidade do grupo em ter pelo menos dois ou três reforços, que aumentarão o nível de competitividade do Fluminense.

As apostas, por ora, seguem sendo nas antigas estrelas como Diego Cavalieri e Fred e nas promessas das categorias de base. No atual elenco, o principal nome vindo de Xerém é Gustavo Scarpa. Marlon, Marcos Júnior e Douglas são outros que costumam receber oportunidades com frequência.

O que pode pesar é que algumas dessas promessas desperta o interesse do futebol europeu e podem deixar o clube já neste início de Brasileirão. A possibilidade maior de saída é do zagueiro Marlon. O meia Gustavo Scarpa também recebeu algumas sondagens, mas nada oficial chegou ao Fluminense, que não pretende negociar o jogador nesta janela.

Campinho Fluminense
Time-base do Fluminense para o início do Campeonato Brasileiro

O Tricolor ainda conta com nomes experientes, que são cascudos na competição, como Jonathan, Henrique, Gum, Pierre, Magno Alves e Cícero e outros que estrearão na Série A, como o jovem Richarlison, que chegou após se destacar no América-MG, na Série B.

Qualidade para buscar uma vaga na Libertadores o time tem, mas como Levir pediu, precisa de reforços para se manter por cima. Não podem repetir o ano passado.

Copa do Brasil - Fluminense x Ferroviaria (foto:Paulo Sergio/LANCE!Press)
Gustavo Scarpa mostra regularidade e vira esperança do Fluminense

OLHO NELE: Gustavo Scarpa

Nome:
Gustavo Henrique Furtado Scarpa
Posição: Meio-campo
Naturalidade: Campinas/SP
Nascimento: 05/01/1994
Altura: 1.76m
Camisa: 40
Jogos: 64

Aos 22 anos, Gustavo Scarpa é o grande nome do Fluminense na atual temporada. Com as características de uma camisa 10, o meia canhoto se destaca pela qualidade no passe e, principalmente, pela precisão na finalização.

As boas atuações renderam em 2016 renderam a Gustavo Scarpa o prêmio de Craque da Primeira Liga, torneio conquistado pelo Fluminense, e um lugar na Seleção do Campeonato Carioca. Titular absoluto do Tricolor das Laranjeiras, já disputou 22 partidas e fez seis gols neste ano.

Fluminense campeão da Primeira Liga de 2016
O Fluminense superou o Furacão e faturou a Primeira Liga (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)

TRICOLOR EM 2016

O início do Fluminense no Estadual foi muito ruim. Derrotas para pequenos, muitos gols sofridos e nenhuma vitória em clássicos. Assim, Eduardo Baptista não resistiu à pressão da torcida e foi demitido do clube ainda no mês fevereiro.

Levir Culpi foi o técnico escolhido pela diretoria do Tricolor das Laranjeiras. O início de seu trabalho também foi conturbado. Na queda de braço com o capitão Fred - que chegou a dizer que não jogaria mais pelo Flu com Levir -, o treinador levou a melhor.

O Fluminense subiu de produção. Um dos idealizadores da Primeira Liga, o Flu levou a competição à sério e acabou como campeão do torneio após vencer grandes adversários como Cruzeiro (primeira fase), Internacional (semifinal) e Atlético-PR (final).
Neste ano...
Vitórias:
13
Empates: 5
Derrotas: 6
Gols pró: 44
Gols contra: 24
Somados amistosos, Primeira Liga e Campeonato Carioca.

COM A PALAVRA, DUÍLIO DIAS
Campeão brasileiro pelo Fluminense em 1984

"Acho que o Fluminense pode fazer um bom início de Campeonato Brasileiro. No entanto, como a competição é longa e difícil, entendo que o elenco precise de alguns reforços para conseguir se manter brigando lá em cima.

O grupo não pode pensar só em Libertadores, tem que pensar em conquistar o título. Não tem que se contentar com as migalhas do Brasileirão. Pensando grande, as chances de conseguir alcançar os objetivos é maior.

O Levir é um grande treinador, campeão por onde passou e se os jogadores se dedicarem, o Fluminense pode sonhar alto".