Bernardo Cruz
27/12/2016
06:40
Rio de Janeiro (RJ)

O torcedor do Fluminense precisará esperar 2017 para ver o clube anunciar algum reforço. Esse é o atual cenário que a diretoria, presidida por Pedro Abad desde a semana passada, trabalha para os últimos dias do ano. Tudo por conta da tentativa de abertura na folha salarial para a viabilização da chegada de novos jogadores para a próxima temporada. Sem ela, a direção prefere a cautela.

A ideia da nova gestão tricolor é liberar um número considerável de jogadores, seja pelo baixo aproveitamento na temporada ou mesmo alto custo. Na relação, figuram os laterais Wellington Silva e William Matheus, o zagueiro Gum, os meias Cícero e Dudu, e o atacante Osvaldo.

É possível que a relação aumente ainda. Não necessariamente todos os nomes tem saída certa do clube, mas é desejo que sejam envolvidos em negociações em definitivo ou mesmo por empréstimo. Mas algumas situações já se encaminham para o desfecho, como a de Cícero.

O jogador (tem contrato até o fim de 2018) interessa ao São Paulo, que já acertou algumas questões com o empresário do meia, Eduardo Uram. Resta definir de que maneira o Fluminense será recompensado. Em um primeiro momento, atletas do Tricolor paulista seriam envolvidos na transação. Mas a ideia acabou esfriando. No entanto, a concretização da transferência deve sair.

Por ora, o Fluminense tem dois nomes certos, que foram anunciados no meio do ano: Sornoza e Orejuela.

A SITUAÇÃO DE CADA ‘NEGOCIÁVEL’

Gum
O zagueiro tem contrato até o fim de 2018. Despertou interesse do futebol europeu. Vai sair.
......................
Wellington Silva
Contrato até o fim de 2018. Está disponível para ser negociado.
......................
William Matheus
Contrato até o meio de 2017. Deve ser liberado.
Cícero
O meia fez uma boa temporada, mas vai sair. Está em negociações com o São Paulo.
.....................
Dudu
Tem contrato até 2019. Existem clubes interessados.
......................
Osvaldo
O vínculo termina no fim do ano que vem. Fora dos planos.