Treino Flamengo - Zé Ricardo com jogadores

Elenco rubro-negro foi elogiado por Rodrigo Caetano (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

LANCE!
04/12/2016
08:45
Rio de Janeiro (RJ)

Reunir grandes nomes em um mesmo elenco pode acarretar boas opções para o treinador, mas, em contrapartida, pode gerar alguns problemas internos, uma vez que, no futebol, apenas 11 começam jogando. E era justamente este ponto que trazia uma certa preocupação à diretoria do Flamengo, que no meio do ano acertou com nomes como Diego, Leandro Damião, Réver e Donatti, já tendo peças como Guerrero, Sheik, Mancuello e Juan no plantel. Porém, se o hepta não se tornou realidade, ter brigado por ele até o fim só foi possível graças à "cabeça boa" do elenco.

O diretor-executivo Rodrigo Caetano chegou a citar esse fator como um dos preponderantes ao exaltar a campanha no Campeonato Brasileiro, lembrando o quanto as viagens - que não foram poucas para o Rubro-Negro nesta temporada - podem ter impactado o elenco.

- Foram 116 dias fora do Rio de Janeiro. Imaginem o quanto isso impacta no emocional dos atletas. No entanto, não tive um problema sequer de indisciplina ou de falta de comprometimento. E digo isso por todos nós, pois vou e retorno com os atletas, e permaneço com eles. Fui assim em todos os clubes e aqui não seria diferente. O quanto isso impacta em nossa vida pessoal e emocional durante todo esse período. Temos que valorizar e exaltar a campanha do Flamengo no Campeonato Brasileiro - disse Caetano.

Mas o comportamento dos jogadores não foi um mero acaso. Segundo Caetano, a diretoria pesquisou muito bem o perfil dos atletas que pensava em contratar antes de finalizar a negociação.

- No Flamengo, pensamos muito nisso (liderança positiva). Com o passar dos anos, nosso elenco cada vez mais integra jogadores com esse perfil. É um cuidado que temos na hora de trazer e fazer permanecer - avisou.