icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/08/2015
07:52

Apesar de o capitão Wallace ter sido expulso em um momento crucial da partida contra o Vasco, na quarta-feira, e ter prejudicado o Flamengo em uma reação no jogo - saiu com a derrota por 1 a 0 -, o técnico Cristovão Borges - muito hostilizado pela torcida - defendeu o jogador. Nem o fato de o zagueiro ter se envolvido em confusões na partida, como no momento da expulsão ter jogado a braçadeira de capitão no chão, fez com que fosse chamado a atenção.

- Foi uma jogada de dividida, em que ele não tem tempo de pensar. Normalmente o zagueiro entra firme, e o atacante foi mais rápido, não tem como. Acabou sendo expulso - afirmou o treinador, que teve o discurso compartilhado pelo diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano:

- Ele não jogou a braçadeira de capitão. Ele transferiu a braçadeira. Não vamos aumentar os nossos problemas, que já são tantos. A expulsão infelizmente faz parte do jogo, claro que talvez ali tenha impedido uma possível reação. Mas jamais vamos direcionar justificativas a um profissional, muito menos ao Wallace, que é um cara responsável e exemplo para os mais jovens.



Outra polêmica da partida, o técnico Cristovão Borges afirmou não ter visto necessidade para fazer as três substituições no Flamengo diante do Vasco - promoveu apenas duas mudanças.

- Isto depende do jogo. Tem jogo que você pode fazer (de não chegar a três substituições). Quando eu vejo que não há necessidade de mexer. Diante do Vasco, depois da expulsão, não vi esta necessidade, por isto que não mudei - destacou o técnico.

A reapresentação do Flamengo está prevista para a tarde desta quinta-feira, no Ninho do Urubu. O próximo jogo pelo Campeonato Brasileiro é no domingo, contra o São Paulo, também no Maracanã. O jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Vasco acontece na próxima quarta-feira, novamente no Maracanã.


E MAIS:
> VÍDEO Acabou o amor? Cristovão é hostilizado pela torcida do Flamengo
> Vaiado e pressionado no Flamengo, Cristovão não cogita demissão
> Bandeira de Mello discute com torcedores do Fla que pediam a saída de Cristovão

Apesar de o capitão Wallace ter sido expulso em um momento crucial da partida contra o Vasco, na quarta-feira, e ter prejudicado o Flamengo em uma reação no jogo - saiu com a derrota por 1 a 0 -, o técnico Cristovão Borges - muito hostilizado pela torcida - defendeu o jogador. Nem o fato de o zagueiro ter se envolvido em confusões na partida, como no momento da expulsão ter jogado a braçadeira de capitão no chão, fez com que fosse chamado a atenção.

- Foi uma jogada de dividida, em que ele não tem tempo de pensar. Normalmente o zagueiro entra firme, e o atacante foi mais rápido, não tem como. Acabou sendo expulso - afirmou o treinador, que teve o discurso compartilhado pelo diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano:

- Ele não jogou a braçadeira de capitão. Ele transferiu a braçadeira. Não vamos aumentar os nossos problemas, que já são tantos. A expulsão infelizmente faz parte do jogo, claro que talvez ali tenha impedido uma possível reação. Mas jamais vamos direcionar justificativas a um profissional, muito menos ao Wallace, que é um cara responsável e exemplo para os mais jovens.



Outra polêmica da partida, o técnico Cristovão Borges afirmou não ter visto necessidade para fazer as três substituições no Flamengo diante do Vasco - promoveu apenas duas mudanças.

- Isto depende do jogo. Tem jogo que você pode fazer (de não chegar a três substituições). Quando eu vejo que não há necessidade de mexer. Diante do Vasco, depois da expulsão, não vi esta necessidade, por isto que não mudei - destacou o técnico.

A reapresentação do Flamengo está prevista para a tarde desta quinta-feira, no Ninho do Urubu. O próximo jogo pelo Campeonato Brasileiro é no domingo, contra o São Paulo, também no Maracanã. O jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Vasco acontece na próxima quarta-feira, novamente no Maracanã.


E MAIS:
> VÍDEO Acabou o amor? Cristovão é hostilizado pela torcida do Flamengo
> Vaiado e pressionado no Flamengo, Cristovão não cogita demissão
> Bandeira de Mello discute com torcedores do Fla que pediam a saída de Cristovão