icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
20/08/2015
18:53

O treinador René Simões foi apresentado pelo Figueirense nesta quinta-feira e o novo comandante, apesar de já ter 36 anos na profissão, disse que assume o clube como se fosse o seu segundo emprego. O ex-técnico do Botafogo exaltou o fato de ter passado por uma entrevista, realizada pelo presidente do clube catarinense, Wilfredo Brillinger, antes de ser contratado.

- É a primeira vez que fui entrevistado no Brasil para assumir o cargo de treinador. Parabenizo o presidente porque é algo que eu cobro muito no Brasil. Pude apresentar um método de trabalho. É o segundo clube que eu vou testar esse método e estou ansioso para saber se ele é eficaz. Chego como sendo o meu segundo emprego - disse René, que antes de assumir o Botafogo ficou quatro anos sem exercer a função de treinador.

Os planos de René para desenvolver a nova metodologia de trabalho foram pensados durante os quatro anos que ficou sem trabalhar. Ele conta que, no Botafogo, seu antigo clube, implementou o conceito parecido com o que é utilizado pelo Benfica. O clube português faz treinamentos em sala e todos os dias os jogadores passam pelo local para debater algum assunto.

Conhecido por ser um estudioso do futebol, René Simões chega para ser o substituto de Argel Fucks, técnico que ficou no Figueirense por cerca de um ano e dois meses. O novo profissional tem estilo totalmente diferente de Argel. O único pedido de René quanto ao tema foi: não ser chamado de teórico.

- Desde que não me chamem de teórico, o resto me agrada. Na Bahia, me chamavam disso e sem saber a definição. Hoje eu sou um prático, é diferente de ser didático. Se eu for jogar contra um clube gosto de antecipar cenários, eu treino antes, isso eu gosto de fazer - explicou.

O novo treinador traz para o Figueirense os auxiliares Chico Santos e Alfredo Montesso, além do coaching Paulo Serrano, espécie de motivador. O vínculo de René Simões vai até o final do ano. No sábado, no Orlando Scarpelli, na partida válida pela primeira rodada do returno do Campeonato Brasileiro, contra o Sport, o treinador ficará no banco de reservas e, por não conhecer totalmente o elenco, o auxiliar Hudson Coutinho será bastante consultado.

O treinador René Simões foi apresentado pelo Figueirense nesta quinta-feira e o novo comandante, apesar de já ter 36 anos na profissão, disse que assume o clube como se fosse o seu segundo emprego. O ex-técnico do Botafogo exaltou o fato de ter passado por uma entrevista, realizada pelo presidente do clube catarinense, Wilfredo Brillinger, antes de ser contratado.

- É a primeira vez que fui entrevistado no Brasil para assumir o cargo de treinador. Parabenizo o presidente porque é algo que eu cobro muito no Brasil. Pude apresentar um método de trabalho. É o segundo clube que eu vou testar esse método e estou ansioso para saber se ele é eficaz. Chego como sendo o meu segundo emprego - disse René, que antes de assumir o Botafogo ficou quatro anos sem exercer a função de treinador.

Os planos de René para desenvolver a nova metodologia de trabalho foram pensados durante os quatro anos que ficou sem trabalhar. Ele conta que, no Botafogo, seu antigo clube, implementou o conceito parecido com o que é utilizado pelo Benfica. O clube português faz treinamentos em sala e todos os dias os jogadores passam pelo local para debater algum assunto.

Conhecido por ser um estudioso do futebol, René Simões chega para ser o substituto de Argel Fucks, técnico que ficou no Figueirense por cerca de um ano e dois meses. O novo profissional tem estilo totalmente diferente de Argel. O único pedido de René quanto ao tema foi: não ser chamado de teórico.

- Desde que não me chamem de teórico, o resto me agrada. Na Bahia, me chamavam disso e sem saber a definição. Hoje eu sou um prático, é diferente de ser didático. Se eu for jogar contra um clube gosto de antecipar cenários, eu treino antes, isso eu gosto de fazer - explicou.

O novo treinador traz para o Figueirense os auxiliares Chico Santos e Alfredo Montesso, além do coaching Paulo Serrano, espécie de motivador. O vínculo de René Simões vai até o final do ano. No sábado, no Orlando Scarpelli, na partida válida pela primeira rodada do returno do Campeonato Brasileiro, contra o Sport, o treinador ficará no banco de reservas e, por não conhecer totalmente o elenco, o auxiliar Hudson Coutinho será bastante consultado.