Andrés Sanches

Andrés está licenciado do cargo de superintendente de futebol do Timão (Foto:Reginaldo Castro/ LANCE!Press)

LANCE!
26/01/2016
21:49
São Paulo (SP)

Apesar de estar licenciado do cargo de superintendente de futebol do Corinthians, Andrés Sanchez participou da negociação envolvendo o empréstimo de Alexandre Pato ao Chelsea, da Inglaterra. Andrés, inclusive, desmentiu o diretor adjunto de futebol Eduardo Ferreira e disse que o atacante não terá seu vínculo estendido com o Timão.

Eduardo Ferreira afirmou nesta terça-feira que o Corinthians caminhava para uma renovação com Pato, já que no meio do ano o jogador já pode assinar um pré-contrato com outro clube. Andrés, porém, disse em entrevista à Rádio Bandeirantes que não haverá a prorrogação do vínculo.

- O Corinthians não é banco, o Corinthians tem de ganhar campeonato. Vieram duas propostas bilionárias da China, o Pato não quis ir. Aí apareceu o Chelsea, eles disseram que, por tudo que falaram dele, o histórico não é bom para comprar. Se ele for bem até julho, pagam 12 milhões de euros. Se prorrogar o contrato e o Chelsea não comprar, quem vai comprar depois? E nós babacas vamos pagar salário de novo. A cagada já está feita, agora é a hora de recuperar. Se não recuperar agora, um abraço - afirmou Andrés, que também disse que há uma cláusula que impede Pato de assinar pré-contrato com algum clube inglês e, com isto, sair de graça no fim do ano.

- Ele não pode assinar pré-contrato com o Chelsea e nenhum time da Inglaterra. Infelizmente, se assinar com (clube de) outro país, está liberado. Não tem prorrogação de contrato, eu era contra. Iríamos perder de qualquer jeito. A única chance de faturar algo com ele é jogar bem no Chelsea e o Chelsea comprá-lo. Senão, o Chelsea não poderá contratar o Pato nos próximos cinco anos - completou.

Pato viaja para a Inglaterra na noite desta terça-feira, e o diretor Eduardo Ferreira disse que a negociação deve ter um desfecho até quinta.

O atacante chegou ao Corinthians em 2013, contratado do Milan, da Itália, por 15 milhões de euros (cerca de R$ 40,5 milhões na época). O Timão tem 60% dos direitos econômicos do atacante, que tem os outros 40%.

O Corinthians busca vender Pato desde as últimas janelas de transferências. O desejo era por uma proposta de 25 milhões de euros (cerca de R$ 108 milhões), mas não encontrou algum clube interessado.