Torcedores do Corinthians retidos no Maracanã (Foto: Igor Siqueira)

Jéssica de Almeida: 'Impedir de frequentar estádios, somente por força judicial' (Foto: Igor Siqueira)

RADAR / LANCE!
24/10/2016
13:41
Rio de Janeiro (RJ)

O tumulto envolvendo torcedores do Corinthians e policiais no Maracanã deve ganhar novos desdobramentos em breve. Na tarde desta segunda-feira, a delegada Jéssica de Almeida revelou que 31 dos corintianos identificados devem responder pelo incidente, ocorrido antes da realização do empate em 2 a 2 com o Flamengo:

- Após assinar uma central de garantia, os 31 torcedores identificados foram autuados por lesão corporal, dano e resistência qualificada, e por provocar tumulto em local de jogo. As denúncias serão apresentadas ao Poder judiciário, onde vai ser pedida a prisão preventiva dos identificados - disse ao SporTV. 

Ao todo, 64 torcedores foram detidos na noite de domingo e ficaram em 14 celas. Enquanto os 31 eram autuados, 22 corintianos foram liberados e outros 11 assinaram termo circunstanciado e soltos nesta segunda-feira.

- Esses 11 foram compromissados para comparecerem em juízo, já que foram identificados apenas como provocadores de tumulto, não participaram dos danos no estádio do Maracanã, nem pelas lesões sofridas e fatos descritos - informou a delegada, em entrevista coletiva nesta segunda-feira.

Jéssica de Almeida ainda informou o histórico de alguns dos envolvidos na confusão:

- Alguns tinham passagens por posse de drogas e infrações anteriores ligadas ao Estatuto do Torcedor.

A delegada detalhou como ficará a sequência do processo aos brigões da partida no Maracanã:

- No sistema de inteligência policial, contamos com alguns bancos de consulta, em relação inclusive à conduta individualizada. Aguardamos as definições para tentar levar a uma audiência até no prazo de dez dias.

Quanto à possibilidade de impedir que os torcedores frequentem o estádio, Jéssica de Almeida foi enfática: 

- Estamos regulando cadastros, para que possamos monitorar torcedores. Agora, impedir de frequentar o estádio, somente por força judicial. 

Em entrevista coletiva, o delegado Marcus Montez indicou que há possibilidade de detenção dos acusados:

- Como alguns já têm passagem e histórico, há uma chance considerável de que a prisão preventiva seja aceita. Mas é o Juiz quem decide