Bruno Cassucci
20/09/2016
19:30
São Paulo (SP)

O goleiro Cássio foi homenageado pelo Corinthians nesta terça-feira, véspera do duelo contra o Fluminense, pela Copa do Brasil, quando completará 250 partidas com a camisa alvinegra. Ele recebeu uma placa das mãos do diretor adjunto de futebol Eduardo Ferreira e também uma camisa com o número 250 nas costas.

Depois, o jogador concedeu entrevista coletiva e comentou o momento turbulento que a equipe está vivendo. Cássio lamentou a demissão do técnico Cristóvão Borges, após derrota do Timão no Dérbi do último sábado, e revelou ter enviado uma mensagem de apoio ao ex-comandante:

- Desde que cheguei aqui sempre peguei grupos comprometidos com os treinadores, para mim é novidade também mudar treinador no meio do campeonato, teve o Tite na Seleção, mas agora foi a primeira vez que teve demissão. Até mandei mensagem para o professor Cristóvão, que foi correto comigo e com todos, é triste quando a gente não consegue evoluir. Infelizmente ele foi embora, assumiu o Fábio, estamos comprometidos com ele, a ajudar e buscar as vitórias - declarou.

Cássio citou jogos marcantes que fez com a camisa do Corinthians, em especial três, contra Emelec, Vasco e Chelsea, todos em 2012, mas não quis eleger um mais importante. O goleiro também analisou a sua fase:

- O time está tendo momentos irregulares, não acho que o Corinthians caiu na tabela por minha culpa. O Corinthians oscilou, tivemos mal momentos, mas minha pior fase foi em 2013, quando me machuquei. É claro que não quero tomar gol, mas é preciso ficar focado, não posso me abater com críticas, tenho que ter cabeça boa. É normal a cobrança, sempre vai ter, independentemente do que vença - analisou.

Contestado por parte da Fiel torcida, ele declarou que respeita todos os seus concorrentes, não se importa em eventualmente ir para a reserva, mas que confia em seu trabalho e qualidade.