Thiago Salata
17/06/2016
16:08
São Paulo (SP)

"O título se ganha nas últimas oito rodadas e se perde nas oito primeiras". A receita para vencer um campeonato de pontos corridos em 20 jogos é de Pep Guardiola, contada pelo jornalista Martí Perarnau, no livro "Guardiola Confidencial". Será que ela vale para o Campeonato Brasileiro? Ao menos para a largada, é possível dizer que sim ao olhar o desempenho dos campeões desde 2006, quando o torneio passou a ser disputado por 20 clubes no Brasil.

Se por um lado apenas dois dos dez campeões eram líderes após oito rodadas (Cruzeiro, em 2014, e Corinthians, em 2011), por outro todas as equipes que ficaram com o título estavam do sétimo lugar para cima, próximas dos líderes.

A maior distância após oito jogos foi de Flamengo (2009) e São Paulo (2008), que estavam a seis pontos do primeiro colocado depois de oito rodadas. Nenhuma vez os clubes da oitava colocação para baixo reagiram a ponto de terminar a temporada com a taça de campeão brasileiro. Ser líder a esta altura, no entanto, pouco significou na história do campeonato: Sport (2015), Botafogo (2013 e 2007), Atlético-MG (2012 e 2009), Corinthians (2010), Flamengo (2008) e Fluminense (2006) lideraram e não terminaram campeões.

Seguindo a "lógica de Guardiola" e a escrita do Brasileirão, Internacional (19 pontos), Palmeiras (16), Grêmio (15), Santos (13), Corinthians (13), São Paulo (13) e Flamengo (13), os sete primeiros colocados após oito jogos, já são os favoritos de 2016. Será mesmo?