William Arao

Willian Arão teve boa passagem pelo Botafogo e começou bem no Rubro-Negro (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!)

Felippe Rocha e João Matheus Ferreira
02/04/2016
11:00
Rio de Janeiro (RJ)

Vaias serão naturais. Mas que ninguém se surpreenda se a torcida do Botafogo, logo mais, cantar os versos de Dida e Jorge Aragão, eternizados por Beth Carvalho: "Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão". É esse o sentimento que Willian Arão desperta nos alvinegros. A sensação de rejeição após a troca pelo Flamengo, no final do ano passado.

Mais que isso: o desdém, a devolução do dinheiro ao Glorioso e as ironias à arquibancada. Os torcedores chegaram a pedir que Airton dê uma entrada violenta no ex-companheiro. Mas esse ar de revanche ficará fora de campo quando a bola rolar. Pelo menos é o que garante o goleiro e capitão Jefferson.

- Nosso jogo não é contra o Arão, é contra o Flamengo. Respeitamos, ele nos ajudou muito. Alguns jogadores aqui são amigos íntimos dele até. Tem a rivalidade dentro de campo mas depois, acabou - cravou.

No Flamengo, o meio-campista começou o ano como um dos melhores, mas teve uma queda de rendimento nas últimas partidas. Nada que o abale. Juan, um dos mais experientes do Rubro-Negro, garante que o companheiro está empolgado, e que a rivalidade faz bem para o duelo desta tarde.

- Essa coisa de jogador que reencontra seu ex-time é legal para apimentar o clássico. Nas redes sociais, o torcedor faz a brincadeira que quer, mas a gente não pode entrar nessa pilha. Temos que jogar forte, mas sempre com lealdade. Todos são profissionais. Ele foi bem lá e está muito bem aqui - analisa.

Ricardo Gomes resumiu em poucas palavras a situação de hoje. Arão foi importante, mas agora é rival:

- Para nós é normal. Ele nos ajudou bastante no ano passado. Foi peça-mestra no meio-campo. Agora é adversário, mas é normal. Vai ser a primeira vez, não será a última.