Ricardo Gomes

Ricardo Gomes tem um casamento perfeito com o Botafogo e objetivo é seguir no clube por mais dois anos (Foto: Vitor Silva SSPress)

LANCE!
11/11/2015
07:05
Rio de Janeiro (RJ)

O Botafogo e o técnico Ricardo Gomes formaram uma união inesquecível nesta temporada. Ambos superaram dificuldades e atingiram o objetivo de voltar à elite do futebol brasileiro. O treinador retornou à beira dos gramados quatro anos após ter sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e deu, como muitos costumam dizer, a volta por cima.

Curiosamente, o retorno foi justamente no Estádio Nilton Santos, onde o comandante sofreu o AVC, no dia 28 de agosto de 2011, no clássico entre Vasco x Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro daquele ano.

Mesmo com uma limitação física decorrente de um problema dos tempos de jogador, no joelho direito, Ricardo Gomes chegou ao clube sem esperar qualquer tipo de piedade. Logo na apresentação, ele disse que chegava sem contraindicações e liberado para receber críticas.

Os dois primeiros jogos, inclusive, não foram fáceis. O Botafogo empatou com o Luverdense, sem gols, no Niltão, e depois foi derrotado pelo Santa Cruz, por 1 a 0, no Arruda. Nesta época, surgiram alguns questionamentos sobre a escolha de Ricardo como treinador, mas o Glorioso reagiu e, em poucas rodadas, retomou a ponta da tabela.

Sempre com um discurso sereno, Ricardo Gomes destacou, desde que assumiu, a importância do Botafogo jogar bem. Ele deixou claro que as vitórias eram fundamentais, porém, fazia questão dos comandados terem boas atuações, justamente por acreditar que vitórias e conquistas são consequências de um bom futebol.

Diante de um casamento perfeito, Botafogo e Ricardo Gomes devem renovar os votos para a próxima temporada. O contrato ainda não foi assinado, mas a negociação está muito bem encaminhada. A tendência, inclusive, é de prolongar o vínculo até o fim de 2017, ano em que termina o mandato do presidente do clube, Carlos Eduardo Pereira.

Para a Série B terminar de forma perfeita para Botafogo e Ricardo Gomes, só falta mesmo levantar a taça. Tudo é apenas uma questão de tempo para o Alvinegro dar mais uma volta olímpica, projetar a elite e procurar voos mais altos na próxima temporada.