Corinthians x Botafogo

Leandrinho marcou, mas time desperdiçou muitas chances (Foto: Marcelo Machado de Melo/Fotoarena/Lancepress!)

Felippe Rocha
01/10/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

No primeiro turno, quando o Botafogo patinava para sair da zona de rebaixamento, ainda sob as ordens de Ricardo Gomes, o Corinthians apareceu no caminho. Aquele duelo, em São Paulo, no dia 19 de junho, terminou 3 a 1 para os paulistas, mas o Glorioso desperdiçou oportunidades para vencer. Desta vez, com mais uma chance de se afastar da zona de rebaixamento e se aproximar do G4, a única coisa que não pode acontecer é a perda de pontos. Na Arena da Ilha do Governador, neste sábado, às 16h30, será preciso ser letal. O site do LANCE! transmitirá em tempo real a partida.

O jogo da Arena Corinthians era em homenagem a Tite, que havia deixado o comando técnico do time paulista rumo à Seleção. Naquela ocasião, ainda no primeiro tempo, Neilton recebeu cruzamento da direita e, sozinho, deu de canela na bola, da linha da pequena área. Quem também perdeu boa chance foi o argentino Nuñez. O meia fez boa jogada, mas o chute rasteiro foi na trave esquerda de Cássio. Jair Ventura, técnico que comanda a equipe na arrancada atual no Campeonato Brasileiro, pede mais capricho na hora da decisão.

– É muito importante o terço final do campo, traduzir as oportunidades em gol. Ter a posse de bola apenas não é suficiente. Precisamos ser mais incisivos no terço final. Mas já vimos que o Botafogo tem sido mais eficiente neste terço final. O que manda no futebol são os gols. Precisamos ter mais tranquilidade na hora das finalizações – prega o treinador, visando a recuperação do time.

Jair, inclusive, vem evitando falar em classificação à Taça Libertadores. O técnico entende que a equipe ainda não alcançou o primeiro objetivo da temporada: escapar da zona de rebaixamento. Porém, está oito pontos acima do Z4 e sete abaixo dos que garantirão vaga na principal competição do continente. Assim, ele não nega o sonho, mesmo que distante, de chegar no topo da tabela.

– Nós não podemos falar que não (pode chegar ao G4). Queremos atingir, sim, a pontuação de Libertadores. Mas viemos de um rebaixamento. Todos os profissionais estavam envolvidos para nos livrarmos. Claro que uma sequência de vitórias dá direito de sonhar, todo clube grande quer almejar isso e não é que pensamos pequeno. Mas é essa a realidade atual. O presidente mesmo teve dificuldades no início. O Botafogo é gigante. Sempre tem que brigar por Libertadores, título. Mas a realidade é gradativa. Estamos reconstruindo o clube. Ano que vem, com certeza estaremos melhores. Pensando em coisas maiores desde o início – diz o comandante alvinegro, em entrevista coletiva.

Mas se a pontaria melhorar, o sonho pode até ser antecipado.