LANCE!
15/10/2017
18:12
Rio de Janeiro (RJ

Quinto jogador do atual elenco do Botafogo a chegar aos cem jogos pelo clube, quarto só neste ano, o atacante Rodrigo Pimpão alcançou a marca no último sábado, quando o time perdeu de 1 a 0 para o Vasco, no Maracanã, em partida da 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Se por um lado ele comemora, por outro convive com um mau momento técnico. São nove jogos sem marcar. O último foi há dois meses, na vitória de 2 a 0 sobre o Nacional - URU, na volta das oitavas de final da Libertadores. Esta fase talvez seja explicada pelos problemas físicos que o incomodam desde a eliminação para o Grêmio. Depois daquele 1 a 0, ele precisou ser baixa contra o Coritiba e ficou fora de alguns treinos.

Contra a Chapecoense, na última quarta-feira, o jogador foi banco e entrou no segundo tempo. O técnico Jair Ventura explicou a opção por Guilherme contra os catarinenses: performance nos treinos. No último sábado, na derrota para o Vasco, ele retomou a titularidade, mas viu o jovem atacante entrar em seu lugar mais uma vez.  

Pimpão não comemorou os cem jogos com uma boa performance, ao contrário do que aconteceu com Bruno Silva, que deu uma assistência na vitória sobre o Coxa, e Lindoso, que marcou um dos gols da vitória diante do Santos. O zagueiro Renan Fonseca e o goleiro Jefferson completam a lista de jogadores do atual elenco com mais de cem jogos. Ambos perderam no centenário.

O defensor teve um revés de 2 a 1 para o Flamengo, no Carioca, e o arqueiro sofreu três gols na goleada de 3 a 0 para o Barueri, no Campeonato Brasileiro de 2009. 

História no Botafogo
Apesar da fase, Rodrigo Pimpão cravou o seu nome na história do time. Ele tem 21 gols pelo Alvinegro, cinco só na Libertadores deste ano, o que colaborou para levar o time às quartas de final e colocar o nome do atacante como o maior artilheiro do clube na história da competição, ao lado de Jairzinho e Dirceu.

Ele chegou ao clube em 2015 e deixou o Alvinegro no meio daquela temporada. Participou da vitoriosa campanha da Série B e da Taça Rio daquele ano. Voltou em meados de 2016  e ajudou a conduzir o time à Libertadores deste ano.