Carro de Marcos Rocha é depredado (Foto; Reprodução / Instagram)

Pai de Marcos Rocha fez boletim de ocorrência (Foto; Reprodução / Instagram)

RADAR / LANCE!
29/04/2017
20:20
Belo Horizonte (MG)

Protestos da torcida do Atlético-MG na véspera do primeiro jogo da final do Mineiro, contra o Cruzeiro, na porta da Cidade do Galo, tiveram cenas de vandalismo. O carro do lateral-direito Marcos Rocha teve partes amassadas.

Horas após o episódio, o lateral utilizou seu perfil no Instagram para lamentar o ocorrido. Marcos Rocha relatou decepção com os torcefadores:

"Assim ficou meu carro hoje. São 11 anos de Atlético, com título da Libertadores, Copa do Brasil, Campeonatos Mineiros, quatro vezes melhor lateral direito do Brasil, seleção brasileira e agora o lateral direito com mais jogos na história do clube. Entre muitos elogios e cobranças nestes 11 anos, nunca me senti tão decepcionado após essa "manifestação" de hoje de manhã na porta do CT, que pra mim foi vandalismo puro. Digo a todos que estarei em campo amanhã (domingo) com a mesma determinação de sempre, dando o meu suor e o meu sangue por esta camisa, pois sou muito grato ao Atlético e defendo essas cores como ninguém, e será assim até meu último dia de contrato".

O pai de Marcos Rocha registrou boletim de ocorrência em uma delegacia da Polícia Militar em Vespasiano. De acordo com "O Estado de Minas", até o momento os autores do vandalismo não foram identificados. Diretores da organizada Galoucura foram conduzidos para prestar depoimento e se disponibilizaram a colaborar nas investigações.

Nem mesmo as vitórias sobre a URT, na semifinal do Mineiro, e o Libertad-PAR, pela Libertadores, cessaram o clima de intranquilidade no Atlético-MG. Além de pedir raça, os torcedores expuseram faixas. Uma delas dizia: "Mineiro é obrigação".

ORGANIZADA EMITE NOTA

Após o episódio, a organizada Galoucura emitiu nota lamentando o ocorrido. Além de esclarecer que os atos foram "para cobrar empenho e raça dos jogadores, de forma pacífica, principalmente para o jogo de amanhã, contra o adversário que não vencemos há dois anos", a depredação do carro de Marcos Rocha foi definida a um ato que "fugiu do controle":

"Infelizmente, ocorreram manifestações individuais isoladas, que fugiram do nosso controle, mas que não possuem apoio desta Agremiação e todos envolvidos serão devidamente cobrados, podendo chegar a expulsão dos mesmos".

A organizada destacou "apoio irrestrito" ao Atlético-MG, e garantiu:

"Aos jogadores, comissão técnica e Diretoria, saibam que estaremos amanhã apoiando TODOS do início ao fim. Contem com a Galoucura hoje e sempre dentro e fora dos gramados".