Dátolo treinou na Cidade do Galo, mas não foi relacionado por Diego Aguirre (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Meia resgatou a confiança no Galo e volta a ser ótima opção de Marcelo no elenco (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

RADAR/LANCE
23/09/2016
15:55
Belo Horizonte (MG)

Depois de quase três meses, o argentino Dátolo voltou a jogar com a camisa do Atlético-MG. E o retorno não poderia ter sido melhor. Com pouco mais de um minuto em campo, o meia cobrou o escanteio que terminou com o gol de Robinho, empatando em 2 a 2 a partida contra a Ponte Preta, na última quarta-feira. A igualdade no final do jogo rendeu ao time mineiro a classificação para as quartas de final do torneio. Após a partida, o argentino colheu os elogios de Marcelo Oliveira.

- Ficamos muito felizes com a presença dele, com a participação. Isso foi tema agora com o grupo, no vestiário. Precisamos contar com todo mundo, um banco que esteja preparado para qualquer circunstância, com o olho brilhando. Só assim que se consegue chegar – comentou o treinador.

Durante o período que esteve ausente, não foi só um trabalho de fortalecimento muscular na coxa que deixou o jogador de molho. Recentemente, o meia já havia sido relacionado e escolhido por Marcelo Oliveira para entrar em campo, mas não se sentiu confortável o suficiente e pediu para não jogar. Por outras três ocasiões, o jogador sequer foi relacionado. Além das especulações sobre seu futuro, problemas pessoas também mexeram com a cabeça do jogador.

- É difícil voltar depois de tanto tempo, após alguns problemas pessoais. Estou muito feliz por estar com o grupo. Por incrível que pareça, sempre volto quando o time precisa. E foi um dia muito especial para mim, pois me faz lembrar a Copa do Brasil que conquistamos. Então foi muito bom – disse, em entrevista à Rádio Inconfidência.

Desta forma, o jogador é apenas mais um nome que ganha confiança para as próximas partidas e surge como boa opção de Marcelo Oliveira no banco de reservas. Na última semana, Clayton e Otero também realizaram boas partidas e deixaram o treinador satisfeito.

- Acho que agora ele vai se sentir mais seguro, mais confiante. Como eu disse, não havia nenhum outro tipo de problema senão a insegurança dele para jogar, alguma coisa mais psicológica, mais emocional. A fala dele no vestiário, agradecendo, também mostra que ele está mais preparado. Jogar ele sabe, ele é um jogador que tem uma história muito bacana no clube. O torcedor gosta e eu também, todo mundo quer um meia habilidoso que arma o time e que sabe fazer gols também – completou Marcelo Oliveira.