Fluminense x Vasco - Disputa

Talles Magno fez o gol do Vasco em derrota para o Flu por 2 a 1, mas foi expulso (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Fernanda Teixeira
30/08/2020
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Além da perda da invencibilidade sob o comando de Ramon Menezes, o Vasco viveu outra situação inédita com o  treinador, no revés, por 2 a 1, para o Fluminense, no último sábado, Foi a primeira vez que a equipe saiu atrás no placar em uma partida oficial, desde a troca de comando. Com um gol sofrido em apenas dois minutos de jogo, o time precisou buscar a reação mas teve dificuldades com a bola e pouca criatividade. 

A solidez defensiva vinha, até então, sendo apontada como um dos pontos fortes do Vasco de Ramon. Não foi o que aconteceu no clássico. O time entrou em campo desatento e acabou levando um gol precocemente, o que acabou desmontando todo um esquema de jogo pensado em dar prioridade em se defender. Depois disso, ainda sofreu em noite em que até o goleiro Fernando Miguel cometeu erros não habituais. Em desvantagem, a equipe precisou ir para cima do Tricolor, mas não conseguiu vencer a marcação adversária e pressionar e ainda sofreu com a lentidão na recomposição, em especial pela laterais. 


O Vasco sentiu as ausências do meia Andrey e do atacante Vinícius, dois jogadores que têm sido destaque na temporada e dão qualidade ao passe. Carlinhos e Guilherme Parede, os substitutos, não foram bem e as dificuldades na saída de bola ficaram evidentes, assim como a queda de rendimento.

A entrada de Juninho no intervalo foi um dos aspectos positivos da derrota, com a melhora na marcação. Ramon ainda tentou mudar o panorama lançando Bruno César e Gabriel Pec no meio-campo, sem sucesso. Em um contra-ataque, o time acabou sofrendo o segundo gol, aos 38 do segundo tempo, e teve pouco tempo para reagir.

– Todo o jogo traz lição. Se aprende. Uma delas foi que a gente nunca tinha começado perdendo o jogo. Levamos o gol aos 3 minutos. Mesmo assim, a todo o momento buscamos o empate. Vou chegar em casa, ver o jogo e depois falar com os atletas. A pandemia nos fez viver uma situação atípica. Não mantemos a escalação. Alguns jogadores tem desgaste, o que é normal. A gente tem de ter calma. A sequência era de vitórias e agora veio a derrota – analisou o treinador, após a partida.

Ramon agora será testado pela primeira vez em sua capacidade de virar a chave e voltar a colocar a equipe no rumo certo, em uma temporada exigente em termos de calendário. O comandante vascaíno começa também a lidar com a necessidade de fazer substituições que não afetem o desempenho até então elogiado.

– No elenco, temos jogadores que podem fazer mais de uma função. Eu estou muito satisfeito com o que temos. Não faltou atitude, garra e luta e fomos até o final tentando o empate.

O próximo desafio será na quarta-feira, contra o Santos, na Vila Belmiro. O Vasco terá de volta Andrey e talvez Bruno Gomes, mas não poderá contar com Talles Magno, suspenso pela expulsão no fim.