Ricardo Sá Pinto - Equipe Vasco

Sá Pinto teve contato com o elenco, vai a Porto Alegre, mas ainda não comandará o time (Rafael Ribeiro/Vasco)

Felippe Rocha
17/10/2020
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Ricardo Sá Pinto chegou, foi apresentado, vai viajar para o jogo contra o Internacional, mas ainda não deverá ser neste domingo que as ideias do treinador português deverão ser vistas em campo. Mas, afinal, quais são essas ideias? O que ele quer ver no Cruz-Maltino? O próprio comandante responde.

Ideia de jogo
- A ideia de jogo é de a equipe saber defender, atacar e estar organizada. Vamos trabalhar a organização. Dá para defender em bloco alto, médio ou baixo. É importante sabermos interpretar. Tem as estratégia, as transições, saber ligar a bola ao ataque. Temos que dar soluções para não perdermos logo a posse de bola. Umas vezes vamos ter que dar mais apoio, mas fazer soluções. Mas a equipe tem que estar sempre equilibrada quando perdermos a bola, e saber recuperá-la. É importante a equipe entender. Queremos que a equipe perceba quando podemos sair jogando de trás e quando temos que sair longo, e há várias formas de sair jogando longo, inclusive recuperando a bola mais da frente. E saber os ritmos de jogo.


Posse de bola
- Vejo que aqui no Brasileirão existe uma perda constante da posse, pouca paciência com a bola em quase todas as equipes. Isso impossibilita que as equipes tenham a posse de bola. isso é uma coisa que eu gostaria de ver. Não ditar o ritmo nos briga a nos desgastarmos, nisso pretendo melhorar a equipe. Temos dinâmicas para saber como chegar ao ataque, em movimentos de trabalhar sem tirar a criatividade deles (jogadores). Saber ocupar essas zonas quando entramos nos últimos 20 metros. Explicar o que pretendo realmente para ajudá-los a tomar a melhor decisão. Muitas vezes o futebol é mais simples, outras vezes temos que ver o colega ao lado. Melhorar a decisão dos jogadores também é um trabalho que quero desenvolver.


Bolas paradas
- Em bolas paradas, variações dependendo dos adversários, naquilo que estiverem mais débeis. Identifiquei algumas coisas para defender bolas paradas, até laterais longe e perto da área. Tudo isso faz parte do modelo de jogo.

Em resumo
- O modelo vai ser explicado, mas nunca será algo fechado. Há coisas que estão abertas. Agora, defensivamente, não há negociação. tem que fazer aquilo que quero.