Ricardo Sá Pinto

Pelas informações que chegam do outro lado do Atlântico, Ricardo Sá Pinto tem personalidade forte (Reprodução)

Felippe Rocha
14/10/2020
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco foi até Portugal para contratar o novo treinador. Ricardo Sá Pinto chega no Rio nesta quinta-feira, e o LANCE! perguntou a jornalistas da terra do novo comandante para saber o que esperar dele. Confira:


Norberto A. Lopes, editor do Jornal de Notícias
"O Sá Pinto é um treinador diferente do Jorge Jesus. Ele valoriza muito a raça e a atitude da equipe no campo. Os jogadores têm de dar tudo sob o comando dele.

Ele fez um bom trabalho na Bélgica, onde ganhou uma taça, mas não foi muito feliz em Braga. Chegou tarde, durante a pré-temporada, e isso não ajudou muito. Mas essencialmente ele é um treinador exigente, com uma personalidade forte, muito frontal e que exige atitude aos jogadores. Quer equipas que deixem a pele em campo, que corram e lutem muito.

Estilo de jogo: 4-2-3-1. Um meio campo com dois volantes centrais e outro jogador mais à frente, perto do atacante."

Thiago Correia, diretor do jornal O Minho
"Sá Pinto não tem no currículo os maiores clubes da Europa, e apenas um título na carreira, mas tem alguns bons trabalhos que podem trazer alguma expectativa ao torcedor. Mas talvez o seu grande momento ainda seja logo no início da carreira, no Sporting, quando eliminou o Manchester City nas oitavas de final da Liga Europa.

No entanto, não conseguiu dar prosseguimento e rodou por diversos países com trabalhos curtos, mas importantes, na Bélgica e na Polônia.

Quando voltou a Portugal para treinar o Braga, deixou torcida e imprensa divididas, porque foi muito bem na Liga Europa, mas a prioridade do clube era estar no top-3 do Campeonato Português, e ele era apenas o oitavo. Acabou demitido, o time acabou por conseguir ficar na terceira posição, mas não foi tão longe na competição continental.

O treinador gosta de jogar num esquema, de certa forma, semelhante ao de Ramon Menezes, com três meias, sendo um mais avançado, dois jogadores abertos pelas pontas e um centroavante mais fixo.

O grande desafio de Sá Pinto será se contextualizar não apenas com o Vasco, mas com o futebol brasileiro, carioca e todas as suas peculiaridades. Ainda mais indo para um clube com dificuldades financeiras, que vem num momento ruim dentro de campo, e que entra agora num processo eleitoral."