Cayo Tenório - Vasco

'É um grupo acolhedor, o que acaba ajudando a gente a desempenhar um bom trabalho', diz Cayo Tenório (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Vinícius Faustini
20/07/2020
07:05
Rio de Janeiro (RJ)

À medida que o Vasco se prepara para o Campeonato Brasileiro, o técnico Ramon Menezes vai ganhando novas cartas para fortalecer seu elenco. Nos jogos-treinos da última semana (contra Porto Velho-RO e Macaé), atletas oriundos das categorias de base trouxeram novos atalhos que podem ser cruciais para o Cruz-Maltino se fortalecer. 

Entre os titulares, além de Talles Magno já ter se firmado desde o ano passado, o setor ofensivo ganhou um bom caminho para o lado direito se firmar. Mais solto e com seu estilo driblador, Vinícius tem variado seu posicionamento com Yago Pikachu, no intuito de confundir a marcação adversária.

Porém, outros jogadores mostraram o quanto vão buscar seu lugar ao sol. De volta ao clube após uma passagem pelo CSKA (RUS), Lucas Santos sinalizou que adquiriu maior visão de jogo. O atacante fez boas inversões de jogo, se apresentou mais para as investidas e não se intimidou: em um cochilo adversário, avançou e anotou um gol.  


Dois jogadores que lidaram com as oscilações recentes da equipe também deixaram boas expectativas para o técnico Ramon Menezes. Atuando mais aberto pela direita, Gabriel Pec ganhou mais vigor a cada ataque.

Tiago Reis, que despontou no Carioca de 2019 como um promissor fazedor de gols, também indicou um espaço no qual pode jogar: como um centroavante nato, perto dos zagueiros. Por lá, se apresentou para oportunidades e participou da jogada do gol de Bruno César.

As outras "cartadas" vêm se impondo aos poucos no setor defensivo. Sem o capitão Leandro Castan nos jogos-treinos, Ulisses manteve a seriedade na dupla de zaga formada com Ricardo Graça.

Já em seu primeiro ataque diante do Macaé, Cayo Tenório não titubeou: cruzou com precisão para Lucas Ribamar cabecear para a rede. O fato de Ramon Menezes ter feito parte comissão técnica do Cruz-Maltino é visto como essencial para que os jovens se encaixem pouco a pouco no time.

- O Ramon acompanhava sempre a base, estava vendo nosso desempenho nos jogos. Ele procurou ajudar a gente ao máximo, entende muito o nosso lado e fica até mais fácil para nós compreendermos tudo o que ele fala - afirmou Cayo Tenório.

A união do elenco também se torna importante para garantir que os jovens se firmem como boas alternativas. Cayo Tenório mostra otimismo com a maneira como lida como os jogadores tratam os "meninos da Colina".

- É um grupo acolhedor, o que acaba ajudando a gente a desempenhar um bom trabalho. Cada um de nós vamos buscando espaço. Lucas Santos, Tiago Reis... Todo mundo vem trabalhando bem durante o ano. E o clube vem com um trabalho muito bom nessa transição entre a base e o profissional  - declarou.

Cabe aos garotos mostrarem o quanto podem crescer com a camisa cruz-maltina.