Vasco x Internacional

Tiago Reis vive grande fase com a camisa cruz-maltina. Marcou mais um gol no último jogo (Jorge Rodrigues/Eleven)

LANCE!
13/06/2019
07:50
Rio de Janeiro (RJ)

A história do Vasco, dos tempos mais distante às lembranças próximas, é recheada de exemplos de jogadores formados na base do clube que dão orgulho ao torcedor. E quando a fase não é das melhores, a necessidade de reafirmação da equipe pode passar pelas revelações de São Januário. Já ocorreu contra o Internacional e os jovens cruz-maltinos seguem como grandes esperanças para o jogo desta quinta-feira, contra o Ceará.

Contra o Colorado, o primeiro gol foi marcado por Andrey. O segundo foi de Tiago Reis, após falta sofrida por Marrony. A base do Vasco também se faz forte na defesa, com Ricardo Graça se destacando na ausência de Leandro Castan, mesmo nos momentos ruins da equipe. No caso do zagueiro, o teste de fogo foi no início do ano passado. Agora, vem sendo aprovado.

- Quanto mais difícil, mais se aprende. O jogo contra o Jorge Wilstermann foi meio complicado, contra a LDU também, mas, de resto, a gente se portou bem. Não conseguimos nos classificar para as oitavas da Libertadores, mas o objetivo na tabela do Brasileiro, de não cair, conseguimos. Com o tempo a gente vai ficando mais calejado - entende Ricardo.

Além dos prováveis titulares desta última rodada antes da parada para a Copa América, o Vasco tem em outros revelados em São Januário protagonistas do ano. Talles Magno, por exemplo, se tornou o jogador mais jovem a entrar em campo pelo time profissional no século XXI. E foi elogiado.

Isso tudo a despeito das 13 contratações do Cruz-Maltino para a temporada. A frase do histórico presidente do clube Cyro Aranha está gravada numa parede de São Januário: "Enquanto houver um coração infantil o Vasco será imortal". Não são crianças mais, porém é nos jovens que o torcedor deposita esperança de um futuro melhor.

placeholder