Vasco 2011

O ano de 2011 foi dos melhores da história recente do Vasco (Marcelo Sadio/Vasco.com.br)

Felippe Rocha
20/08/2020
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco encara o Ceará, na noite desta quinta-feira, cheio de moral pelo bom início de trabalho de Ramon Menezes à frente da equipe de São Januário. O impacto foi tão imediato quanto raro é o Cruz-Maltino começar tão bem o Campeonato Brasileiro.

Desde que o Brasileirão começou a ser disputado por pontos corridos, em 2003, o Gigante da Colina disputou 15 edições da primeira divisão. E em somente três delas o time obteve duas vitórias nas duas primeiras rodadas. E o que aconteceu depois?

2007 - Venceu as duas primeiras, empatou a terceira e terminou o campeonato em décimo.
2011 - Venceu as duas primeiras, perdeu a terceira e terminou a competição em segundo lugar.
2012 - Venceu as duas primeiras, venceu também a terceira, venceu ainda a quarta e terminou a competição em quinto lugar.

A equipe de 2007 fazia um Campeonato Brasileiro seguro, mas acumulou resultados ruins entre setembro e outubro. Era a primeira temporada de Guilherme Santos, hoje no Botafogo, e do centroavante Alan Kardec como profissionais, mas o ataque também tinha Romário e André Dias. O meio-campo tinha Morais e Conca na criação. O folclórico Perdigão era figura frequente no time titular.

Em 2011, ano da conquista da Copa do Brasil, o Cruz-Maltino disputou até a última rodada o título do Brasileirão. E reclama de erros capitais do ex-árbitro Péricles Bassols - que ele já admitiu terem ocorrido - nos dois clássicos contra o Flamengo (19ª e 38ª, a última, rodadas) naquele campeonato. Era o time de Fernando Prass, Dedé, Felipe, Bernardo, Diego Souza, Juninho Pernambucano e Fellipe Bastos.

Em 2012, a crise financeira começou a dar as caras novamente de uma forma cruel no clube de São Januário. O rebaixamento se daria no ano seguinte, mas os efeitos em campo se provaram ao longo do Brasileirão. Apesar do início com dez vitórias, quatro empates e somente uma derrota nos primeiros 15 jogos, uma sequência de seis derrotas seguidas entre outubro e novembro minou as chances de título e vaga na Copa Libertadores de 2013.