Alex e Lucas Lourenço

Elenco do Santos encarou 13 horas de viagem entre Rio de Janeiro e Manta (EQU) (Foto: Reprodução/Twitter Santos)

Fábio Lázaro
23/09/2020
15:55
Santos (SP)

Mesmo com os problemas de logística que culminaram no atraso da chegada da delegação do Santos a cidade de Manta, no Equador, o elenco do Peixe realizará uma atividade às 18h (horário de Brasília) no Club Elegole, situado na cidade equatoriana. Na quinta-feira (24), o Alvinegro enfrenta o Delfin, às 23h (Brasília), pela quarta rodada do grupo G da Libertadores.

O grupo santista permaneceu no Rio de Janeiro após o empate em 0 a 0 contra o Botafogo, no último domingo (20), pela 11ª rodada do Brasileirão, realizando um treinamento no CT do Fluminense, na segunda-feira (21), e embarcando rumo ao Equador por volta das 14h. A expectativa era de chegada a Manta entre 23h e 00h, o que veio acontecer apenas às 3h20 - 1h20 horário local.

O trabalho desta tarde será o único do Peixe visando o duelo pela competição continental, restando a Cuca se opta por um trabalho técnico, devido o desgaste da viagem, ou encarando uma atividade tática, já que o treinador possui problemas no meio-campo, com a ausência de Alison, que com problemas físicos não viajou.

O treinador santista tem a opção de escalar Jobson pelo setor ou manter Diego Pituca como primeiro volante, como na última partida. Caso opte pela segunda opção, Cuca terá que pensar em opções para a composição do meio-campo, podendo repetir a escalação de Jean Mota, como no último jogo, ou retornar a trabalhar com Arthur Gomes, que supriu a ausência de Soteldo, no ataque, contra o Alvinegro Carioca. Arthur foi utilizado no meio-campo nas partidas contra Ceará e Altético-MG, pelo Brasileirão.

O Peixe é o líder do grupo G da Libertadores, com sete pontos. Invicto, a equipe tem duas vitórias e um empate pela competição.