Santos x Palmeiras

Gabriel foi titular do Santos no empate em 1 a 1 com o Palmeiras na última quinta-feira (Foto: Ale Vianna/Eleven)

LANCE!
20/07/2018
08:00
São Paulo (SP)

O atacante Gabriel comentou as críticas das quais foi alvo pelo holandês Frank De Boer, seu ex-técnico na Inter de Milão, na Itália. O treinador chegou a dizer que o camisa 10 do Santos "precisa se olhar no espelho" e parar de "andar em campo" para ter sucesso na Europa. Tranquilo, o atacante disse respeitar a opinião do comandante e preferiu não entrar em polêmica. 

- Vi sim, respeito a opinião dele, é um grande treinador, acabou indo embora da Inter e trabalhou em outro time na Inglaterra, eu acho que cada um tem a sua opinião, eu respeito, e procuro aprender com o que ele fala. Ele é bem mais velho do que eu, então tenho que ouvir as coisas dos mais velhos, é o que o meu pai me ensina. Eu tenho certeza que ele tem mais experiência do que eu, então se ele acha isso, eu respeito, e é trabalhar para melhorar - disse o jogador, após a partida com o Palmeiras, e completou: 

- Depende de como você leva. A gente tinha uma relação muito boa na Inter, então creio que foi para me ajudar, não me criticar, eu acho que tem críticas que são para me ajudar, então de qualquer parte que vier eu vou agradecer.
 
Gabriel espera não só mudar a própria postura, mas também torce por uma evolução do estilo de jogo do Santos. Para ele, é natural o time sofrer quando escalado com quatro atacantes não tão acostumados a marcar, mas tal sofrimento precisa diminuir para resultados melhores acontecerem. 

- Eu acho que é normal, usar quatro atacantes normalmente não tem tanto o hábito da marcação. Se a gente for ver, jogamos com quatro atacantes, mais o Jean, que é meia, e de marcação só foi o Alison. Então o time que quer atacar, vai sofrer contra-ataques, o que é normal, e também pela qualidade deles, isso iria acontecer. A gente tomou um gol, depois soube marcar bem, mas acho que é normal, quem quer atacar, vai sofrer um pouquinho, mas a gente pode melhorar e vai trabalhar para isso - analisou, ressaltando que o fator surpresa da escalação: 

- Eu acho que é um esquema muito ofensivo, muito diferente, tivemos grandes chances ali na frente, conseguimos nos movimentar bastante. Foi o primeiro jogo assim, então temos muito a melhorar ainda. Claro que é um lugar (15ª colocação) que a gente não gostaria de estar, mas se a gente for ver, ganhamos do Fluminense, hoje empatamos, temos um jogo fora de casa que precisamos vencer e dois em casa, então a gente está evoluindo, não perdeu, saímos atrás do placar e conseguimos empatar com uma grande equipe.