LANCE!
12/08/2018
14:16
Santos (SP)

O técnico Cuca reclamou do pênalti não dado ao Santos na derrota por 3 a 1 para o Atlético-MG, neste domingo, no Estádio Independência. Gabigol foi atingido por Leo Silva dentro da pequena área.

Além disso, o treinador assumiu a culpa pelo resultado infeliz e explicou a entrada de Copete e Léo Cittadini no segundo tempo.

- Primeiro tempo foi muito bom, saímos atrás e desenhamos jogada, empatamos, tive posse de bola. Tivemos controle na maior parte, mesmo com um ou duas chances do Atlético. No segundo tempo, foi diferente. Atlético tomou iniciativa e veio pelo lado esquerdo da nossa defesa triangulando, sentimos isso e corrigimos isso com Copete e depois um meia no lugar do Jean Mota para criarmos mais. Tivemos chance do 2 a 1 com Rodrygo e Dodô, e um pênalti que tive cuidado de analisar. Conversei com Gabriel, um pênalti claro e que geralmente dão. Seria um lance que nos daria a vitória ou encaminharia como o segundo gol encaminhou para eles. Sentimos o jogo na segunda parte do segundo tempo, viagem… Terceiro gol pode pôr na minha conta para tirar um volante e tentar empatar. Culpa é do treinador que pôs o time, tenho que tirar o peso e cobrar internamente. Escorregamos no lance do terceiro gol, foi fatalidade, enfim. Vi coisas boas, principalmente no segundo tempo. Temos que trabalhar em cima disso para tentarmos vencer o Sport - disse o técnico santista.

Contra o Cruzeiro, na quarta-feira, às 19h30, pela Copa do Brasil, o Peixe não poderá contar com o trio de estrangeiros Carlos Sánchez, Bryan Ruiz e Derlis González. Eles não foram regularizados em tempo para a inscrição na competição.

Em contrapartida, o comandante poderá contar com Eduardo Sasha. Recuperado de uma lesão na coxa esquerda, o atacante corre contra o tempo para se recuperar fisicamente.

- Futebol é oportunidade diária para ser reversível. Temos que acreditar nisso. Quarta é outro jogo, competição diferente, e podemos muito bem ganhar - concluiu.

Veja outras respostas de Cuca em entrevista coletiva após a derrota:

Poupar jogadores

Eu não posso me dar ao luxo de poupar jogadores. Bruno Henrique jogou com certa dor no adutor, saiu muito em função disso. Mas como preservar o time a um ponto do Z-4? Tem que cuidar bem com alimentação, repouso, e por isso ficaremos aqui até quarta.

Culpados?

Tem que ter paciência e equilíbrio. Encontrar culpados em derrotas faz confiança ser ainda mais perdida. Primeiro tempo bom, poderíamos ter saído à frente no segundo tempo, mas sofremos o gol. Temos que corrigir o posicionamento errado do segundo gol, conversar, ajustar e tentar melhor.

Carências no elenco?

São diversos fatores, difícil falar em cima do que aconteceu atrás. Se você pegar o montante desde o começo do ano, vai refletir agora. Estamos no meio de agosto e temos jogador praticamente por estrear, que jogou 15 minutos. Jogador sem entrosamento, conhecimento do futebol brasileiro. Ocorreram não sei se com aval do treinador ou não, mas mexem muito. Não se mandar recado pela imprensa, cobrar lá dentro e fazer o melhor. Sabemos o que precisamos, já está falado para o Ricardo Gomes, sabe o que precisamos para sair da situação, mas não é na marra, tem que trabalhar e evoluir. Vi evolução hoje. Se tivermos esse nível e mais descansado, teremos chance maior de vencer.