Andrés Rueda

Andrés Rueda protestou contra a arbitragem do primeiro jogo entre Santos e Boca (Reprodução/Facebook)

LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE
07/01/2021
13:57
Santos

O Santos emitiu uma nota explicando o conteúdo do ofício enviado ao presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, e ao responsável pela Comissão de Arbitragem da entidade, Wilson Semene. O mandatário santista, Andrés Rueda cobrou melhor uso da tecnologia e tratamento igual aos clubes.

- Mais uma vez presenciamos um episódio que não condiz com as recentes melhorias, os investimentos e os pilares de desenvolvimento da Conmebol nos últimos dois anos. Solicitamos que isso não ocorra mais. São dois clubes muito grandes, dois dos maiores times do Mundo, e isso só atrapalha o espetáculo. Queremos que as tecnologias sejam bem utilizadas e que todos sejam tratados da mesma forma - afirmou o presidente.

- Já chega! Está acontecendo com muitos clubes e solicitamos que isso não ocorra mais e, principalmente, os atos não fiquem impunes. Reiteramos nossa confiança para a adoção das medidas cabíveis, primando sempre pelo espírito do Fair Play e pelo profissionalismo nas competições organizadas pela entidade - concluiu.

No lance reclamado, o atacante santista Marinho foi empurrado por Izquierdoz dentro da área, além de ser tocado por baixo. O árbitro Roberto Tobar não marcou a penalidade e o responsável pelo VAR, Juan Benítez, também não corrigiu a arbitragem. O lance foi muito questionado pelos santistas.

Na manhã desta quinta-feira (7), a Conmebol divulgou os áudios dos lances revisados pelo VAR. O lance reclamado teve uma rápida checagem. Nos áudios é possível perceber que os árbitros falam de contato de futebol, lance limpo e que Marinho teria retardando o movimento para receber o toque do jogador do Boca Juniors. Contudo, o árbitro de campo Roberto Tobar nem chegou a ser chamado para avaliar o vídeo.


Também foram enviados ofícios para os presidentes da Confederação Brasileira de Futebol, Rogério Caboclo, e da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, solicitando apoio e medidas enérgicas diante do ocorrido.