Esmeraldo Tarquinio e Fábio Costa

Esmeraldo Tarquinio e Fábio Costa concorrerão juntos ao comando da gestão santista (Foto: Reprodução de internet)

Fábio Lázaro*
09/09/2020
08:00
Santos (SP)

Ídolo do Santos, o ex-goleiro Fábio Costa foi anunciado no último domingo (06) como candidato à vice-presidente do clube na chapa que tem Esmeraldo Tarquinio à frente. Em contato exclusivo com o LANCE!, o postulante a líder máximo do Peixe explicou os principais motivos que o levaram a firmar parceria com o ex-arqueiro santista.


Tarquinio era presidente do Conselho Deliberativo do Alvinegro em 2000, ano que Fábio Costa foi contratado pela equipe, foi esse o primeiro contato entre as partes. Nas últimas semanas a aproximação entre ambos se intensificou, por conta de amigos em comum.

De acordo com o candidato à presidência, o “casamento” das ideias foi fundamental para que a dupla unisse força.

– O Fábio Costa compreendeu o que foi desenvolvido nessas últimas semanas e houve por parte dele uma identificação integral com o nosso projeto. Ele tem preocupações com o clube e com o time que se aproximam muito das minhas – disse Esmeraldo à reportagem.

– Além do projeto em si, nos identificamos também por conceitos de vida. E foi aí que houve a simbiose, a interação significativa. Sem pressa alguma, eu percebi que se avançássemos, alcançaríamos o que vislumbrávamos para o futuro do clube. E nós chegamos lá – acrescentou.

Ver essa foto no Instagram

Ricardo Ramalho e Vinícius Perazzini avaliam as melhores opções para escalar no game.

Uma publicação compartilhada por LANCE! (@diariolance) em

Trabalho com a base

Certo de que, caso eleito, terá o vice como braço direito, atuante e participativo, Esmeraldo vislumbra um trabalho especial do ex-goleiro frente às categorias de base do Santos.

– Fábio Costa tem preocupações com o clube e com o time que se aproximam muito das minhas. Preocupações referentes às profundas dificuldades financeiras em que o clube foi colocado nas últimas gestões, à necessidade da recuperação da credibilidade e da imagem do clube, à valorização do fator humano na vida do clube e à situação desordenada em que se encontra o nosso futebol de base – afirmou o candidato à presidente.

Participação ativa

Esmeraldo conclui dizendo que acredita na importância da participação de nomes importante na história do clube dentro de campo também fora dele.

– Fábio Costa é um ídolo vivo do clube. E pensar que ídolos só devem ser adorados é um equívoco. Ao contrário, ídolos podem e devem contribuir ativamente com a sua experiência para o futuro do clube. E o Santos tem muitos ídolos nessas condições – pontuou Tarquinio.

A eleição presidencial do Santos está prevista para a primeira quinzena de dezembro. Até o momento sete pré-candidatos se apresentam: Daniel Curi, Esmeraldo Tarquinio, Fernando Silva, Ricardo Agostinho, Rodrigo Marino, Milton Teixeira Filho e Vágner Lombardi. Além deles,  a situação pode apresentar um nome. José Carlos Peres pode tentar a reeleição, mas já se manifestou contrariamente, podendo indicar opções para representar a atual gestão. O “Movimento dos Santistas”, grupo pacificação entre peças da oposição, também tende a apresentar um candidato, sendo Andrés Rueda o favorito.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini