Thiago Ferri e William Correia
02/12/2018
08:00
São Paulo (SP)

Neste domingo, mais um ato que tem virado rotina no Allianz Parque acontecerá: depois da partida contra o já rebaixado Vitória, que começa às 17h, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras erguerá o troféu de uma conquista nacional. O que ocorrerá pela terceira vez em quatro anos desde a inauguração do reformado Palestra Itália.

O palmeirense ficou mais de quatro anos na expectativa de ver o reformado Palestra Itália, transformado no moderno Allianz Parque, e sofreu no primeiro ano da arena, ao ver um time que brigava contra o rebaixamento no Brasileiro de 2014 não conseguir nem vencer por lá. Mas é fato que a espera valeu a pena: o título brasileiro de 2018 ratifica a casa alviverde como palco da festa por conquistas.

Já são três troféus nacionais erguidos diante da torcida. Em 2015, a Copa do Brasil inaugurou a rotina com a vitória por 2 a 1 no tempo normal e por 4 a 3 nos pênaltis, quando a equipe que eternizou Dudu e Fernando Prass como ídolos foi campeã. No ano seguinte, veio o Brasileiro no 1 a 0 imposto sobre a Chapecoense, com direito a homenagens da torcida ao goleiro Jailson, invicto naquela conquista e, principalmente, a Gabriel Jesus, atacante formado no clube e que se despediu rumo ao Manchester City, da Inglaterra.

Para ter a chance de ver o troféu do Brasileiro deste ano ser erguido, o Palmeiras de Felipão precisou muito do apoio da torcida. O Allianz Parque tem uma média de público superior a 31 mil pagantes tanto na temporada inteira quanto na análise somente de partidas do Brasileiro, competição na qual se acostumou a ter mais de 70% de ocupação.

O Allianz Parque ainda está longe de aprovação total. Clube e WTorre, administradora da arena, ainda têm problemas que seguem em discussão, inclusive, na Justiça. O alto número de eventos musicais também tem gerado críticas à qualidade do gramado e levado o Verdão a mandar jogos no Pacaembu. Mais uma vez, 2018 também teve reclamações pelo preço dos ingressos e pela prática de fechar a rua Palestra Itália, limitando a passagem a moradores ou quem possui entrada para a partida em dias de jogos.

Mas é inegável como o estádio é a casa palmeirense, algo que Felipão sempre gostou. Foi no antigo Palestra Itália que ele teve a sua maior conquista pelo clube, a Libertadores de 1999, e ainda conquistou no estádio a Copa Mercosul de 1998. No Brasileiro, o técnico sempre contou com os pontos no Allianz Parque, e tem 100% de aproveitamento na competição no local, batendo Vasco, Botafogo, Atlético-PR, Corinthians, Santos, Fluminense e América-MG.

A arena ainda tem ensinado as categorias de base a se acostumar a levantar taças. Foi no Allianz Parque que o Palmeiras conquistou os Campeonatos Paulistas sub-11e sub-15 de 2017 e, no mês passado, ganhou pela primeira vez na história do clube o Campeonato Brasileiro sub-20. Todos esses títulos com boa presença do público no estádio.

O palmeirense que esteve na inauguração do Allianz Parque, com uma dura derrota por 2 a 0 para o Sport, em 19 de novembro de 2014, vendo um time digno de vaias, brigando para não cair, dificilmente lembra daquela triste noite. A marca do estádio, definitivamente, é de festa. Rotina que, mais uma vez, se comprovou em 2018.